Trânsito precisa de melhorias na Zona Leste de Teresina

Trânsito precisa de melhorias na Zona Leste de Teresina

Os congestionamentos são os principais problemas da zona Leste da capital

A zona Leste de Teresina é a região mais desenvolvida da cidade, inclusive em termos de estrutura viária. Mas embora seja a região mais bem estruturada, o aumento contínuo de veículos circulando pela cidade torna necessária uma série de melhorias.

Os congestionamentos é o principal problema da região. Muitas ruas, mesmo que se tornem vias alternativas acabam concentrando uma grande quantidade de veículos e tornando os espaços insuficientes para a demanda.

Gustavo Azevedo mora no Bairro Ininga e garante que sofre todos os dias para chegar à sua casa. ?Fico procurando vias alternativas para fugir do engarrafamento. Mas na zona Leste, especificamente, melhorou bastante com o prolongamento da Ponte da Primavera?, pondera.

Para ir trabalhar, ele prefere pegar a Avenida Raul Lopes para ter acesso à Higino Cunha pela Ponte Wall Ferraz, no entanto, com a obra da construção do viaduto na Marechal Castelo Branco, ele recorre às demais pontes para chegar ao trabalho. Assim como ele, muitas outras pessoas procuram fugir dos congestionamentos, mas acabam transferindo para outro ponto esse problema.

As ruas que dão acesso à Ponte da Primavera e a Ponte Estaiada têm sentido nos últimos meses um fluxo mais intenso. Um exemplo disso é a Rua Dirce Oliveira, na rotatória da Avenida Universitária com a Nossa Senhora de Fátima.

?O fluxo de veículos é muito grande nos horários de pico e, como há uma rotatória, o trânsito complica. Ninguém sabe de quem é a preferencial, daí quem vem do Colégio Agrícola para a Avenida Nossa Senhora de Fátima é um Deus nos acuda.

Passamos cinco minutos ou mais para percorrer 100 metros de pista?, explica ele, que diz que o problema existe até mesmo antes da obra próxim à Ponte Wall Ferraz.

Pela região também é possível encontrar outros pontos críticos, como o cruzamento das Avenidas Jockey Clube com a Kennedy; Jockey com Nossa Senhora de Fátima entre outros.

?A gente tem que procurar alternativas para fugir desse trânsito que está cada dia mais caótico?, explica o motorista João Pereira.

Obstrução de pontes dificulta trânsito

Com as obras acontecendo próximo à Ponte Wall Ferraz e na Juscelino Kubstischek, que liga as Avenidas Frei Serafim à João XXIII, o trânsito na região Leste tem sentido um pouco mais de lentidão.

O taxista Alexandre da Silva sai todos os dias para deixar clientes da zona Leste no centro da cidade e prefere procurar outros caminhos para não perder a hora.

"Pegar o trânsito de 7h30 às 8h30 para ir ao centro, que já era ruim, agora está pior porque a Ponte Wall Ferraz era bastante utilizada, mas as pessoas estão tendo que procurar vias alternativas. Até na Ponte Estaiada, que não tinha congestionamento algum, hoje você enfrenta engarrafamento", explica.

Segundo o taxista, o engarrafamento nas vias da região triplicou, mas dá uma sugestão para melhorar o fluxo de veículos, principalmente na Ponte Juscelino Kubtschek, onde se concentra a maior quantidade de carros.

"Se liberasse a faixa dos ônibus na Frei Serafim, pelo menos enquanto estão com essas obras, poderia melhorar e muito o trânsito. Muitas vezes a gente vê a via livre, mas não pode ir porque corre risco de ser multado", explica.

A obra de adequação para implantação da quarta faixa na ponte sobre o Rio Poti sentido leste centro tem o prazo para ser concluído em outubro de 2012. Já a obra de construção do Viaduto na Avenida Higino Cunha, iniciada em julho deste ano tem conclusão prevista para o período de 120 dias.

Fonte: Virgínia Santos