Transporte irregular de romeiros é comum no último trimestre nas rodovias do Piauí

Transporte irregular de romeiros é comum no último trimestre nas rodovias do Piauí

Movidos pela vontade de chegar aos centros religiosos do Ceará, milhares de romeiros transitam pelas rodovias do Piauí em transportes completamente inapropriados

Em 19 caminhões “pau de arara”, mais de 2 mil romeiros vindos do Maranhão foram barrados pela PRF (Polícia Rodoviária Federal) em Teresina, apenas na noite da última terça (14/10). O destino era Canindé, no Ceará, a irregularidade no transporte era tão evidente, que alguns veículos chegavam a levar 90 pessoas; contudo, a prática é comum nesta época do ano. Segundo o inspetor Fabrício Loyola, pelo menos uma vez a cada doze meses, no mesmo período, a ação acontece.

Desse modo, o foco se dirige para a fiscalização, principalmente nas vias que levam aos santuários religiosos mais procurados pelos nordestinos.
Mesmo após a apresentação da documentação, os romeiros tiveram sua viagem encerrada, pois de acordo com o inspetor Almir Bílio não existia qualquer possibilidade no prosseguimento, tendo em vista os riscos evidentes e o descumprimento da lei. “A legislação proíbe o transporte de pessoas em veículos de carga, o uso desses caminhões como meio de locomoção só podem ser permitidos em âmbito local e em trechos muito curtos”, sintetiza.

As autoridades ainda alertam para que os romeiros não se deixem levar pelos preços baixos desse tipo de deslocamento, tendo em vista que muitos não possuem conhecimento suficiente sob a exposição dos perigos. “São pessoas humildes, com pouca informação, atraídas pelo baixo valor do serviço oferecido por pessoas que possuem essa informação, tanto que tentaram burlar a legislação”, indica Loyola.

Na ocasião específica, o inspetor garante que os condutores dos caminhões possuíam autorização para trechos seccionados, na tentativa de passarem despercebidos pela fiscalização. “A resolução impõe que esse tipo de transporte possa ser usado apenas quando não há outra alternativa e sempre dentro do Estado, o que não se enquadrava na situação”, finaliza.

Desse modo, os romeiros barrados tiveram que retornar para suas cidades de origem. A escolta durante todo o trajeto foi feita pela PRF, já que a maioria se recusava a interromper a ida para Canindé. “Vamos continuar a vigilância”, garante o Inspetor Bílio.


Clique e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Francy Teixeira