Transportes e preços seguram o tursimo no Brasil

No ranking geral deste ano, o Brasil aparece na 51ª posição entre 140 países, tendo subido uma colocação em relação ao ano passado

O Brasil avançou uma posição na edição de 2013 do Relatório de Competitividade em Viagem e Turismo, promovido pelo Fórum Econômico Mundial, mas seu desempenho no setor de transporte terrestre e em competitividade de preços ainda deixam a desejar, segundo o documento.

No ranking geral deste ano, o Brasil aparece na 51ª posição entre 140 países, tendo subido uma colocação em relação ao ano passado.

Entre os países das Américas, o Brasil ficou em sétimo lugar, ficando atrás de Estados Unidos, Canadá, Barbados, Panamá, México e Costa Rica.

O relatório avalia medidas e políticas adotadas por diferentes países e sua eficácia em estimular a indústria de viagem e turismo.

O documento afirma que a rede de transporte terrestre brasileira ??permanece subdesenvolvida, com a qualidade das estradas, portos e ferrovias exigindo melhorias para se manter em dia com os desenvolvimentos econômicos do país??.

O Brasil é listado na 129ª colocação nesse setor, a mais baixa classificação brasileira entre as várias listadas no relatório.

Mas o relatório afirma que as preparações para a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016 ??oferecem oportunidades para superar o déficit de infraestrutura??.

Preços

De acordo com o relatório, ??o Brasil também continua a sofrer pela falta de competitividade de preços, com impostos sobre passagens elevados e crescendo e taxas aduaneiras??. Neste quesito, o Brasil está em 126º lugar.

O documento afirma ainda que as normas e políticas para o setor de viagem e turismo implementas pelo Brasil também deixam a desejar, o que fez com que o país constasse no ranking da categoria na 119ª posição.

Mas o documento também vê no Brasil grande potencial em outros setores, como o de recursos naturais, em que o país é listado em primeiro lugar, por conta do número de sua biodiversidade, recursos naturais e número de locais que são patrimônio mundial.

Fonte: Jornal Meio Norte