Trecho da BR-316 próximo à Casa de Custódia está cheio de buracos

O trecho da BR-316, próximo à Casa de Custódia, está repleto de buracos. O percurso possui uma grande demanda de veículos, tanto de ônibus e carros de moradores dos bairros da região, quanto de caminh

O trecho da BR-316, próximo à Casa de Custódia, está repleto de buracos. O percurso possui uma grande demanda de veículos, tanto de ônibus e carros de moradores dos bairros da região, quanto de caminhões pesados que realizam transporte de carga para a capital, sobretudo de outros estados. A situação é fruto da obra paralisada de duplicação da BR-316.



Para piorar, os buracos acentuam ainda mais um problema antigo daquela região: os congestionamentos caóticos, que começam antes mesmo dos horários de pico, justamente pela presença de buracos que diminuem consideravelmente a velocidade do fluxo de veículos na rodovia.

Segundo José de Araújo Dias, presidente do Departamento de Estradas e Rodagens (DER-PI), a presente situação se deve à idade da via. “Este trecho da BR-316 é muito antigo. Recentemente, ao final de janeiro, realizamos uma operação tapa-buracos em todo aquele percurso, mas como a via está muito velha, sempre acaba abrindo outros.

Não temos contrato para fazer isso toda a semana”, avalia. Para o presidente do DER, o problema só será completamente sanado após a retomada das obras de duplicação da BR-316.

“Havendo a retomada das obras, com certeza esse problema será resolvido, pois será feita uma estrada nova e capaz de atender aquela demanda”, considera Dias.

Porém, José de Araújo não pôde mencionar quando a obra deve ser reiniciada. “Não tenho nenhuma previsão da retomada das obras de duplicação da BR-316. O que posso dizer é que queremos retomá-la o quanto antes, mas não posso precisar datas. Nem de retomada e nem de entrega da estrada”, finaliza.

Moradores da zona Sul dependem da BR-316

O trecho da BR-316 mencionado pela reportagem é o único caminho prático para muitos moradores da zona Sul de Teresina, que são obrigados a utilizá-la para ir ao centro.

A má estrutura viária da região monopoliza a BR como a única válvula de escape, pois faltam ruas nos bair-ros que possam ser utilizadas para o mesmo fim.

"Somos todos reféns da BR-316. Não temos nenhuma outra opção de tráfego para ir ao centro senão por aqui. E aqui tem tudo de ruim: buraco e congestionamento. Se queremos ser pontuais, temos que sair de casa com duas ou três horas de antecedência", reclama José Bonifácio, morador do bairro Esplanada.

Obra paralisada está na ordem de R$ 64 milhões

As obras de duplicação da BR-316 no trecho da saída sul de Teresina compreendem uma extensão de 8,5 km, oriundos de investimentos do Governo do Estado do Piauí, na ordem de R$ 64.772.071,34. Segundo o prazo de execução da obra, que era de 540 dias, a estrada já deveria estar em pleno funcionamento.

A nova pavimentação também inclui alças laterais e três viadutos, e no cronograma de atividades seria realizada em três etapas. A execução prevê, ainda, serviços de drenagem, sinalização, paisagismo, remanejamento de serviços de utilidade pública, iluminação pública e proteção de área ambiental.

Paralisação das obras atrasa rodoviária

Segundo informações da Superintendência de Desenvolvimento Urbano da zona Sul (SDU/Sul), as obras para a construção da nova Rodoviária dos Pobres ainda não foram iniciadas em razão da duplicação da BR-316. No projeto, a nova rodoviária precisa respeitar o projeto da duplicação, que até o presente momento está paralisado.

A SDU/Sul também informa que foi feito um acordo, assinado entre um empresário, prefeitura e população, para a construção de uma nova rodoviária junto à iniciativa privada. No projeto, o empresário vai construir a rodoviária e a prefeitura vai alugá-la, como uma estrutura terceirizada. Se não houvesse a questão da duplicação da BR-316, a rodoviária estaria em pleno funcionamento em até seis meses.

 

Fonte: Pollyana Carvalho e Lucrécio Arrais