Treinamento e capacitação são as “armas” dos policiais no Piauí

Cerca de 150 policiais participam de dois cursos de capacitação

Em cada profissão, a qualificação profissional é essencial para estar bem preparado para o mercado de trabalho. Quando se trata de envolvimento direto com o público a qualificação se torna imprescindível para oferecer um serviço confiável e atender melhor a população. No Piauí, esta iniciativa é uma realidade que vem trazendo novas perspectivas para os profissionais da segurança pública que buscam a qualificação e, consequentemente, para o público, que tem convivido com uma onda de violência e necessita de profissionais capacitados para situações embaraçosas, que colocam em risco a vida da população.


Image title

Segundo o tenente-coronel Silva Ramos, responsável pela aplicação do cursos de capacitação no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP), o Piauí é um dos estados brasileiros que mais fornece mão de obra qualificada. Atualmente, dois cursos estão em andamento. São eles: “Condução Defensiva e de Transporte de Emergência” e o de “Instruções de Nivelamento a Força Nacional”, oferecidos pelo Centro, por meio da Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça (Senasp).

“A Força foi criada com efetivo de vários policiais militares e o Piauí é um dos estados que mais fornece mão de obra qualificada. Para entrar no curso, os militares são submetidos a testes seletivos, tanto em nível de instrutor, quanto aluno. Atualmente, temos quatro turmas com 150 policiais em andamento. Toda coordenação desse curso é pela Senasp e nós damos apoio porque também temos interesse nessa qualificação do nosso policial”, declarou.

O tenente-coronel afirmou que pelo menos 17 policiais são cedidos para trabalhar na Força Nacional anualmente. No que se refere a bônus financeiro, os participantes não recebem acréscimo pelo fato de passarem pelo curso, no entanto, quando são requisitados para operações, esse militar ganha uma diária de R$ 202 que é paga a cada 15 dias.

A Senasp realiza periodicamente cursos na modalidade Ead (Rede de Ensino a Distância) destinados a qualificar e capacitar os servidores ativos da Polícia Civil, Polícia Militar, Corpos de Bombeiros Militares, Profissionais de Perícia Forense, Guardas Municipais, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e Agentes Penitenciários. A Rede funciona desde 2005 e vem desenvolvendo atividades de capacitação continuada dos profissionais de segurança pública em todo o país, disseminando e compartilhando conhecimentos e informações a esses profissionais e consolidando as doutrinas de atuação policial no Brasil.

A rede oferece mais de 70 cursos de ensino a distância, que abordam assuntos do cotidiano dos operadores de segurança pública, como os aspectos jurídicos da abordagem policial, noções de balística forense, atendimento às mulheres em situação de violência, crimes ambientais, identificação de armas de fogo e muitos ou-tros. Segundo o tenente-coronel Silva Ramos, o Piauí e a população têm um grande ganho com esse aperfeiçoamento, pois esses profissionais vão para as ruas cada vez mais capacitados e preparados para enfrentar todo tipo de situação.

Maioria dos oficiais tem nível superior

Silva Ramos disse que a qualificação pessoal tem aumentado muito nos últimos anos. Ele revela que 82% dos oficiais que participam da turma de formação do CFAP possuem ensino superior concluído ou estão concluindo e alguns até com mestrado. “Essa qualificação contribui muito dentro da corporação para o instrutor se manter atualizado e a cada graduação, dentro da polícia, tem seu nível salarial que pode chegar em até R$ 16 mil em termos brutos”, disse.

O coordenador do curso de armamento e prática de tiros revelou que o quadro policial de instrutores tem se capacitado cada vez mais para obter cada vez mais resultados positivos. Para isso, a diretoria de ensino do CFAP determina metas e realiza planejamento de ofertas de quantos cursos vão oferecer por ano, assim como o número de vagas. O planejamento é feito um ano antes, em nível estratégico, juntamente com o lançamento do Plano Plurianual (PPA). Os cursos são executados de acordo com a capacidade de investimento da corporação.

“A Senasp oferece várias linhas de investimentos, não só na área de qualificação, mas também de investimento de infraestrutura, mas para poder adquirir é preciso concorrer a um edital. Eu falo com certa propriedade, pois integro a equipe de projetos que, à medida que é aberto o edital, abre-se a concorrência em nível de Brasil”, considerou o tenente-coronel.

Policiais terão curso de policiamento montado

O tenente-coronel Silva Ramos, responsável pela aplicação do cursos de capacitação no CFAP, adiantou que possui um projeto junto à Senasp de criar uma academia com toda aparelhagem técnica necessária para os exercícios físicos e preparo de condicionamento físico dos militares, dentre outros projetos que estão sendo elaborados no que se refere a investimento. Já na qualificação de pessoal são oferecidos cursos através da Força Nacional e por meio de editais.

De acordo com o tenente-coronel Silva Ramos, o curso de Policiamento Montado que já foi planejado junto à Secretaria de Segurança Pública Nacional tem previsão para ter início no começo de agosto e acontece pela segunda vez no Estado do Piauí. “Esse curso mostra como deve ser toda abordagem policial e como lidar nas ocorrências em que as viaturas não têm acesso e a cavalaria é ainda um meio bastante eficaz como as ocorrências nos bairros periféricos”, concluiu.

Fonte: Waldelúcio Barbosa