Trem arrasta caminhão, e motorista escapa ileso do acidente

O motorista e uma pessoa que estava com ele no veículo foram encaminhados ao pronto-socorro

O motorista de um caminhão carregado de óleo diesel que foi arrastado por cerca de 200 metros por um trem em Bauru, a 329 km de São Paulo, conta como sobreviveu ao acidente ocorrido na sexta-feira (11). O veículo havia atravessado a linha férrea. A cabine se desprendeu da carroceria que ficou prensada no trilho.

"Eu fiquei com a cabeça na terra. Só deu tempo de tirar os óculos pra poder respirar. Só Deus, né? Pra eu estar vivo. Nasci de novo", disse o motorista Sandro Luiz Ortega, que não tem habilitação para dirigir caminhões.

A colisão entre o caminhão e a locomotiva com 30 vagões ocorreu em uma passagem de nível clandestina. O motorista e uma pessoa que estava com ele no veículo foram encaminhados ao pronto-socorro com ferimentos leves.

"Não sei como conseguiram tirar eu lá de dentro. Deus tava lá do nosso lado", afirmou o ajudante Jonas Vinícius Silva.

Operários da América Latina Logística (ALL) trabalharam por quase quatro horas para retirar os destroços do veículo, que ficou totalmente destruído. O tráfego na rodovia ficou interrompido por três horas. Por problemas na tração causados pelo impacto, a locomotiva teve de ser substituída.

Segundo a ALL, concessionária que administra a malha férrea no estado de São Paulo, a passagem de nível já foi fechada pela empresa, mas foi reaberta por moradores.

A concessionária diz que, ainda assim, os maquinistas realizam no local procedimentos de segurança, como buzinar e diminuir a velocidade. O trem estava a 20 km/h no momento da batida.

Botucatu

Na região de Botucatu, 238 km de São Paulo, um caminhão bateu de frente com uma carreta. Um motorista de 77 anos morreu. O outro motorista foi arremessado para fora da cabine, mas sobreviveu.

"Foi muito rápido. Acordei no chão, não tenho idéia do que aconteceu. Só sei que to vivo, não sei como, porque eu vi o tamanho da tragédia", disse o caminhoneiro José Horácio da Silva, de 51 anos. Ele havia sido levado consciente ao Hospital da Unesp. Segundo a assessoria de imprensa da universidade, o estado de saúde dele é estável. Os médicos não detectaram fraturas.

Litoral

No litoral paulista, três pessoas morreram num acidente de trânsito. Foi um pequeno espaço que garantiu a vida de Irenilza Félix dos Santos.

"Só conseguia mexer a boca assim, e esse lado tampado e respirando por um buraco do nariz só. É por isso que é um milagre", disse a dona de casa.

Esta médica trabalha há 15 anos no atendimento e resgate de vítimas de acidentes. Para ela só tem uma explicação para quem consegue escapar com vida. ?É a mão divina?, disse a médica Carmem Arroyo.

Fonte: g1, www.g1.com.br