Trinta homens transferem mulher de 230kg que estava há três anos presa em cama

Trinta homens transferem mulher de 230kg que estava há três anos presa em cama

Ela foi retirada de casa por uma equipe do Corpo de Bombeiros de Salvador.

Uma equipe da Central de Regulação da Secretaria de Saúde do Estado (Sesab) e 30 homens da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros participaram na manhã desta quinta-feira (17), da operação de retirada de Raimunda Santos, que tem 230 quilos. Ela deixou a residência localizada no bairro de Canabrava e foi levada para o Hospital da Bahia.

?Agora eu vou viver, porque eu estava morrendo. Vou viver com a ajuda de Deus e dos médicos daqui?, disse Raimunda.


Trinta homens transferem mulher de 230kg que estava há 2 anos em casa

Ela foi erguida em uma maca flexível e carregada por sete homens. Uma ambulância do Salvar esperava do lado de fora da residência de Raimunda. Raimunda vai passar por uma bateria de exames cardiológicos, sangue, ultrassom e raio x. ?Isso vai depender o tipo de dieta, quais restrições vamos poder fazer para poder conduzir de maneira mais adequada?, explicou a nutricionista Vanessa Bembem.

Tratamento

O endocrinologista Marcelo Zoling conversou com a moradora na quarta-feira (16) e explicou como vão ocorrer os procedimentos médicos que ela vai passar no hospital. ?Um paciente desse precisa ser analisado e tratado de forma multifatorial. Emagrecido e em condições mais equilibradas, levado a cirurgia. Aí, a chance de resolução será muito grande", disse Marcelo Zoling.

Segundo a doméstica, foi um longo tempo de espera até que fosse definida uma forma de transportá-la até o hospital. ?Eu estava já sem esperança, de tanto tempo que é só promessa e o tempo passando e o sofrimento aumentando", diz Raimunda.

Para o filho dela, Davi Gomes, a internação no hospital renova as esperanças de uma melhora na qualidade de vida da mãe. "Com fé em Deus minha mãe vai viver", lamentou.

"Estou quase morrendo"

Raimunda passava a maior parte do dia sentada, em cima de três colchões na sala da casa onde vive, sem conseguir sequer ir ao banheiro sozinha, já que precisa da ajuda do filho para se levantar. Em função do cansaço, nem sempre a moradora pode deixar a cama improvisada e, por isso, precisa usar fraldas.

A situação de Raimunda Santos comoveu os moradores do bairro de Canabrava, que ajudam a família da doméstica com doações. "A gente providencia o material para ela fazer a limpeza para não ferir mais [a assadura]", relata a agente comunitária Fábia Silva.

Raimunda conta que, aos 20 anos, pesava 50 kg e que começou a engordar no período da gravidez. Ela só foi perder o controle do peso há oito anos, depois da morte de um irmão e de um grave acidente envolvendo o seu único filho. A moradora de Canabrava conta ainda que, na última vez que se pesou, há três anos, estava com 130 kg.

A dona de casa toma remédios para controlar o colesterol, a pressão alta e para tratar as feridas causadas pelo uso das fraldas. Segundo ela, a família gasta metade do salário mínimo que recebe por mês com os seus cuidados.

Fonte: G1