Troca de bebês é descoberta após 56 anos nos Estados Unidos

Bobby Reed foi conversar pessoalmente com a mulher em uma casa de repouso.

Aos 56 anos, duas mulheres descobriram que foram trocadas em uma maternidade nos Estados Unidos. E que a troca de DeeAnn Angell e Kay Rene Reed foi feita por enfermeiras que estavam trabalhando no local em 1953 após dar o banho nos bebês.

A descoberta aconteceu somente depois de o irmão de uma delas, Bobby Reed, receber uma ligação de uma senhora de 86 anos, que afirmou ter sido amiga da mãe dele e que também foi vizinha da família Angell.

Bobby Reed foi conversar pessoalmente com a mulher em uma casa de repouso. Lá, essa mulher contou sobre a troca que havia acontecido e mostrou uma foto antiga onde ele notou que DeeAnn tinha traços da família dele e não Kay Rene.

"Kay Rene não é uma Reed?, a mulher disse para ele. ?"DeeAnn é uma Reed", completou.

A partir daí, Bobby ficou com o dilema para saber o que faria. Ele não queria mudar nada e muito menos machucar ninguém. Após contar toda a história para suas duas irmãs mais velhas, uma delas relatou o ocorrido para Kay Rene.

?Você lembra dos rumores que havia sido feito uma troca de bebês quando você nasceu??, perguntou Juanita.

?Isso significa que não estou convidada para a reunião familiar??, brincou DeeAnn.

Em seguida, Kay Rene foi informada sobre a história, mas quis uma prova definitiva. Eles se encontraram em Kennewick, em Washington, em uma clínica para fazer o exame de DNA e confirmar sobre a troca.

Uma semana depois, Kay Rene pegou o resultado. Ela foi até o carro sozinha, abriu o envelope e viu que seu parentesco com seus irmãos era zero. Os pais das duas morreram antes da história ser revelada.

?Eu chorei?, disse Kay Rene. ?Eu queria ser uma Reed. Minha vida não era minha vida?, disse.

DeeAnn, porém, afirmou que nem precisava do exame de DNA. ?Depois de ver Kay Rene, fui para casa e contei para o meu marido e disse que não sabia o porquê dela fazer o teste de DNA. Estava chocada, ela era parecida com minhas irmãs gêmeas?, afirmou.

O Pioneer Memorial Hospital ofereceu pagar um serviço de aconselhamento para ambas, mas as duas recusaram. E mais: viraram amigas e celebraram o seu último aniversários juntas.

?Estou tentando seguir adiante e ver o lado positivo?, disse DeeAnn. ?Amo meus filhos, meu marido e minha filha?, completou. Após uma pausa, acrescentou: ?Você não pode olhar para trás, senão fica louca.?



Fonte: g1, www.g1.com.br