UESPI inicia curso superior para assentados e quilombolas

As aulas iniciaram nesta segunda-feira (24)

A Universidade Estadual do Piauí (UESPI) iniciou nesta segunda-feira (24) as aulas do curso de Licenciatura em Pedagogia da Terra, Geografia e Agronomia para os moradores de assentamentos e quilombolas do Piauí.Ao todo são 150 pessoas que participam dos cursos, sendo 50 para cada graduação.

O projeto é fruto de uma parceria entre a UESPI, PRONERA, Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária – INCRA e do Ministério do Desenvolvimento Agrário – MDA. E conta com o apoio da Comissão Pastoral da Terra (CPT) e o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).

O curso de pedagogia está sendo realizado em Teresina onde os alunos que vieram da zona rural ficarão instalados nos próximos 40 dias na Obra Kolping, no bairro Dirceu Arcoverde. Os cursos de Agronomia e Geografia acontecerão em Esperantina e Pedro II, respectivamente.

Os cursos possuem duração de quatro anos. As aulas ocorrem de segunda a sábado de 8:00 às 12:00 e de 14:00 às 18:00 horas durante a semana e aos sábados somente no primeiro turno do dia. “No curso de Pedagogia algumas aulas serão ministradas na UESPI e as outras na Obra Kolping. Os estudantes que moram longe vão permanecer aqui, outros moram próximo retornam para suas casas ao fim da aula. Todo auxílio como alimentação, estadia e horário das atividades são coordenados por nós”, explicou Gregório Borges coordenador da CPT (Comissão Pastoral da Terra).

O PRONERA é um curso de formação para professores do campo, que vão atuar nas séries iniciais do ensino fundamental, na educação infantil e na Educação de Jovens e Adultos (EJA). “Sai do interior de Campo Maior envolvida pelo desejo de estudar e contribuir com o lugar onde moro, através dessa formação na área da educação”, falou Teresinha de Sousa, aluna do programa.

“O programa visa uma afirmação do campo como território de saberes e conhecimento. A perspectiva é de levar a educação para as zonas rurais, onde as pessoas possam ter as possibilidades de continuar vivendo no campo, estudarem e terem escolas de qualidade. É essa a contribuição que nós professores esperamos dar para esse processo”, declarou a profa. Dra Lucineide Barros do curso de pedagogia da UESPI e coordenadora do programa na IES.

Segundo a docente, o curso foi dividido em tempo escola e tempo comunidade. O primeiro serão ministrados os componentes curriculares, as disciplinas das diretrizes de bases para formação superior e o segundo é nas comunidades, onde eles darão continuidade as atividades, com a prática pedagógica.Totalizando oito etapas, intercaladas entre os dois momentos, ao longo dos quatro anos.

“Hoje estamos fazendo um primeiro contato com os nossos alunos, é um desafio e estou confiante no trabalho que vamos fazer, por que temos uma proposta excelente”,  finalizou a professora Ana Maria Bezerra do curso de Sociologia da UESPI que irá ministrar aulas no curso.

Fonte: Uespi