UFPI aprova mais dois Mestrados e chega a 14 novos programas em cinco anos

Com esses novos programas de pós-graduação, a UFPI passa a oferecer 23 Mestrados e três Doutorados

A Universidade Federal do Piauí comemora a conquista de dois novos Mestrados. O de Biotecnologia, em Parnaíba e de Ciência dos Materiais, em Teresina. Com esses novos programas de pós-graduação, a UFPI passa a oferecer 23 Mestrados e três Doutorados, número bem distante dos 9 Mestrados que a universidade oferecia em 2004.

Anteriormente, o Comitê Técnico Científico da Comissão de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior do Ministério da Educação, já tinha divulgado a liberação do Mestrado de Fitotecnia para o campus de Bom Jesus. ?Esse ano já aprovamos esses três Mestrados. Ainda temos três em diligência e outros mais devem ser liberados esse ano. Estamos extremamente confiantes e felizes. Essa é a melhor resposta que uma universidade pode dar, pois representa a prova de sua qualidade e do que tem a contribuir com o desenvolvimento humano, científico e econômico do nosso estado?, disse o reitor Luiz Júnior, que ressaltou a importância do trabalho dos alunos, professores e servidores técnico-administrativos. ?Esse resultado é uma conquista da comunidade acadêmica que trabalha e que produz?, destacou.

Para o reitor, o fortalecimento da pesquisa e pós-graduação na universidade é um trabalho de base. ?Investimos fortemente na base para colhermos na ponta. É assim com o nosso programa de iniciação científica, em que os alunos têm a possibilidade de desenvolver pesquisas logo na graduação. Também incentivamos e investimos na pós-graduação, desde estrutura de laboratórios como também nos pesquisadores. A idéia é que a UFPI possa respirar pesquisa de ponta a ponta. E isso não é só em Teresina. Bom Jesus e Parnaíba já mostraram que o interior também avança?, destacou.

Com quase quarenta anos de fundação, o Campus Ministro Reis Veloso em Parnaíba vai receber seu primeiro mestrado. O professor José Roberto Leite, coordenador de Pesquisa e Pós-graduação do Campus, explica que o programa será sediado no Núcleo de Pesquisa em Biodiversidade e Biotecnologia (Biotec). ?Para elaboração do projeto do programa em Biotecnologia, contamos com a participação dos professores dos cursos de biologia, biomedicina, fisioterapia e engenharia de pesca, além da colaboração de professores do departamento de Química, em Teresina?, disse.

Ele destaca que o programa vai desenvolver quatro linhas de pesquisas: Biologia molecular aplicada à biotecnologia, Química e Bioquímica aplicada à biotecnologia, Nanotecnologia e Microbiologia e Bioprocessos. ?As quatro linhas de pesquisas estarão relacionadas em um enfoque multidisciplinar onde serão desenvolvidos projetos que busquem a resolução de problemas regionais da macrorregião do baixo Parnaíba, como por exemplo, geração de tecnologias e inovação envolvendo desenvolvimento sustentável e transferência de conhecimento ao setor produtivo local?, disse.

Fonte: UFPI