Universidade Federal do Piauí ocupa a posição de 2.286ª melhor universidade do mundo, aponta pesquisa

Universidade Federal do Piauí ocupa a posição de 2.286ª melhor universidade do mundo, aponta pesquisa

Quem afirma é o THE World University Ranking (lista organizada pela Times Higher Education em parceria com a Thomson Reuters)

A Universidade Federal do Piauí (UFPI) é a melhor instituição de ensino superior do Estado. Quem afirma é o THE World University Ranking (lista organizada pela Times Higher Education em parceria com

a Thomson Reuters) que a colocou na posição 2.286ª em uma lista com 12 mil universidades de todo o mundo. No país, a UFPI aparece entre as 50 maiores. A liderança é da USP (Universidade de São Paulo) que ficou na 232ª posição no THE.

Para o reitor da UFPI, Luiz Júnior, a boa colocação da instituição na lista só reflete o crescimento que a mesma vem sofrendo nos últimos anos, principalmente com a expansão de cursos e melhoramento da

estrutura de campis pelo Estado. Segundo o reitor, muito se deve aos grandes investimentos aplicados pelo Governo Federal.

"A UFPI tem trabalhado para ser cada vez mais competitiva e oferecer uma educação pública de qualidade. Novos campi, mais alunos, uma pós-graduação mais forte, assistência estudantil, mais apoio a

pesquisa,contratação de mais 800 professores em apenas cinco anos, novas estruturas. A UFPI já tem dado bons resultados e esse é um exemplo", afirmou

Pela listagem Harvard é o melhor centro de ensino do mundo. A universidade de Cambridge, que liderou outro ranking, ficou em sexto lugar. O Brasil tem as melhores colocações da América do Sul. Por

isso, os especialistas consideram que o país é o que tem mais chances de alcançar o nível das melhores universidades do mundo. Entretanto, eles comentam que os centros de ensino de alta qualidade do Brasil e de todo o continente enfrentam problemas que não são acadêmicos.

Philip Altbach, diretor do Centro Internacional de educação superior da Boston College, nos Estados Unidos diz que um dos problemas é o fato dessas instituições serem, na maioria, ligadas ao governo.

"Muitas dessas universidades tem gerências burocráticas e com muita politicagem", afirmou o diretor.

Entre as top 200 estão 82 universidades da Europa, 72 dos Estados Unidos e seis da Oceania. A Ásia que se mostrou muito forte com 27 instituições no ranking.

Fonte: UFPI