Um ano após atentado a bomba, vítima precisa de cirurgia de R$ 25 mil

Thays Mendes se adapta à nova rotina e faz planos para o futuro.

Um ano após o atentado a bomba que queimou 42% do corpo da estudante Thays Mendes,de 19 anos, a família dela ainda enfrenta batalhas diárias para tentar restabelecer a rotina normal. Durante o dia, a jovem veste um tecido especial que cobre seus braços e pernas. Além disso, faz consultas mensais para acompanhamento médico. Agora, ela precisa de uma cirurgia para correção de uma cicatriz. A família afirma que o procedimento, de alto custo, só pode ser feito na rede particular.

"(Custa) Mais ou menos, por alto, mais de R$ 25 mil. Agora, no momento, a gente não tem condições porque é difícil. Ganha pouco e o que ganha gasta com remédio para ela, despesa de casa, então não sobra", diz o pai de Thays, José Bento.

O atentado completou um ano no domingo (5). Na ocasião, a estudante estava em um carro com o namorado Guilherme Almeida, aguardando a abertura do semáforo na Avenida Barão do Rio Branco, no Centro de Anápolis, quando um ciclista arremessou uma bomba de fabricação caseira dentro do veículo. Segundos depois, o artefato explodiu. Imagens de uma câmera de segurança registraram o crime.

Thays teve 42% do corpo queimado e Guilherme, 32%. Os dois ficaram internados por quase 30 dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital de Queimaduras de Anápolis. Durante todo o tempo em que eles estavam hospitalizados, o que mais chamou a atenção e comoveu as pessoas era o cuidado que um tinha pelo outro, mesmo estando em leitos separados. Ainda mais unido, o casal busca superar os obstáculos de cada dia.

No quarto da jovem, fotos do namorado e de amigos a ajudam a ter motivação para enfrentar os desafios. Uma das principais mudanças na vida de Thays é em relação à escola. Para evitar o sol, por conta das queimaduras, ela passou a estudar em casa.

Mais bem adaptada à nova rotina, a jovem agora entra em uma nova fase: a de planejar o futuro. Prestes a completar 20 anos, ela tem a intenção de começar a estudar inglês e sonha ingressar em uma faculdade. "No próximo ano, (quero) odontologia", conta.

Suspeito

Uingles Queiroz Costa, de 31 anos, foi preso suspeito de ser o autor do atentado contra Thays e Guilherme. Ele também é apontado pela Polícia Civil como o responsável por detonar bombas dentro de um ônibus coletivo em Goiânia.

O delegado responsável pelo caso, Éder Ferreira, concluiu o inquérito e indiciou Uingles, no fim de fevereiro do ano passado. O suspeito assumiu o crime em Goiânia, mas negou ser o autor do ataque ao casal. Ele, inclusive, não concordou em participar da reconstituição por negar a autoria do atentado.


Um ano após atentado a bomba, vítima precisa de cirurgia de R$ 25 mil

Um ano após atentado a bomba, vítima precisa de cirurgia de R$ 25 mil

Fonte: G1