Umbanda denuncia intolerância religiosa em THE

Umbanda denuncia intolerância religiosa em THE

Evento em comemoração ao Dia Nacional da Umbanda contou com a participação de 300 pessoas. O grupo protestou contra a intolerância religiosa

Além do feriado da Proclamação da República, nesta quinta-feira (15), foi comemorado o Dia Nacional da Umbanda. A data foi instituída pela Lei N° 12.644, assinada pela presidenta Dilma Rousseff em 16 de maio 2012.

Para celebrar a data, a Rede Estadual de Cultos Afro-brasileiros do Piauí, realizou uma grande festa e protesto no santuário de Iemanjá, na Avenida Marechal Castelo Branco.

Durante todo o dia, irmãos de santo prepararam a grande festa. De acordo com a presidente da Rede Estadual, Mãe Eufrasina de Iansã, o evento além de festejar o Dia da Umbanda foi também um momento de luto e protesto contra a intolerância religiosa. Ela coloca que a Iemanjá foi quebrada já duas vezes e no Rio de Janeiro a imagem de São Jorge também foi destruída.

?A umbanda faz 104 anos de renascimento, porque entendemos que a religião já existia e o Brasil foi escolhido para que a nossa religião ressurgisse. Somos o berço da miscigenação, da mistura de negros, índios e brancos.

A umbanda tem a alma brasileira, é importante que a sociedade entenda isso e a respeite, bem como toda e qualquer manifestação religiosa. Somos um mosaico de raças, não podemos sustentar o preconceito?, destaca a presidente.

Participaram do evento mais de 300 pessoas. Muitos terreiros de Teresina foram convidados para a data e o ato de protesto foi feito de forma pacífica. A festa começou à tarde, mas tudo ficou pronto cedo para receber os visitantes que tinham dúvidas sobre umbanda.

?As pessoas precisam entender o que é e o que representa a Umbanda para depois criticar. O objetivo da nossa religião é a paz e refletir a luz divina. Todos precisam respeitar a religião que vive de amor?, ressalta Raimunda da Conceição, médium da Tenda Espírita Santa Bárbara.

Fonte: Nayara Felizardo e Aline Damasceno