Único sobrevivente de queda de avião na Líbia se recupera bem após cirurgia nas pernas

Único sobrevivente de queda de avião na Líbia se recupera bem após cirurgia nas pernas

Um jornal do sul da Holanda informou que o menino parece ser Ruben van Assouw

O garoto holandês que foi o único sobrevivente da queda de um avião com 104 pessoas na Líbia, nesta quarta-feira, se recupera bem do acidente após passar por cirurgia nas pernas, informaram seus médicos nesta quinta (13).

Um jornal do sul da Holanda informou que o menino parece ser Ruben van Assouw, de nove anos, morador da cidade de Tilburg. Sua avó teria dito ao jornal Brabants Dagblad que Ruben estava em um safári na África do Sul com seu irmão e seus pais, que estariam comemorando o aniversário de casamento. Ela, no entanto, disse não ter visto as imagens do menino na televisão.

O ministro das relações exteriores da Holanda confirmou que o menino disse a um oficial da embaixada que seu nome era Reuben, que ele tinha nove anos e que ele morava em Tilburg. O ministro não divulgou seu sobrenome, mas disse que tios já teriam chegado em Trípoli e iriam visitá-lo assim que possível. "Assim que sua saúde permitir, ele voltará à Holanda".

O Airbus A330-200 estava em operação desde setembro do ano passado e voava de Johannesburgo, na África do Sul, rumo à capital líbia, quando caiu por volta das 6h locais (1h de Brasília). O avião levava 93 passageiros e 11 tripulantes. A aeronave era operada pela companhia líbia Afriqiyah Airways.

O ministro dos Transportes líbio disse que os investigadores estavam tentando descobrir a causa do acidente, mas descartou a hipótese de terrorismo. Quase metade dos passageiros eram holandeses que passavam férias na África do Sul.

A médica Hameeda al-Saheli, chefe da unidade pediátrica onde o menino está internado, disse que ele se recupera bem, está respirando normalmente e que seus órgãos vitais não foram comprometidos. A pediatra disse que o garoto sofreu lesões nas pernas e perdeu muito sangue, mas seu pescoço e cabeça não foram afetados e não houve hemorragia interna.



















Fonte: g1, www.g1.com.br