Universidades são alvos de ações no combate ao vírus HIV/AIDS

Para ir até o principal foco do problema, na faixa etária de 20 a 49 anos, onde a frequência de diagnóstico de casos é maior, a FMS promove ações que levam esse tipo de informação ao público-alvo.

CONFIRA A REPORTAGEM COMPLETA NA EDIÇÃO DESTE SÁBADO (22) DO JORNAL MEIO NORTE.

Os casos de contaminação com o HIV, vírus transmissor da AIDS, preocupam em todo o Brasil, principalmente entre o público jovem e adulto que estão mais vulneráveis a serem contaminados. Buscando diminuir a quantidade de casos, a Fundação Municipal de Saúde percorre diversos locais levando informação para prevenção e diagnóstico da doença.

Para ir até o principal foco do problema, na faixa etária de 20 a 49 anos, onde a frequência de diagnóstico de casos é maior, a FMS promove ações que levam esse tipo de informação ao público-alvo. Nessa sexta-feira (21), na Universidade Estadual do Piauí, ocorreu um dia de prevenção e diagnóstico da AIDS, com a presença de agentes de saúde da Fundação que distribuíram camisinhas e folhetos educativos, e realizaram um teste rápido de diagnóstico do HIV, que entrega o resultado em até 30 minutos.

Segundo Andréia Fernandes, coordenadora do Programa DST/AIDS, esse tipo de ação é de grande importância para a prevenção de HIV: “Nessas ações, nós fazemos prevenção e diagnóstico com dois principais objetivos que é quebrar a cadeia de transmissão do vírus e encaminhar os que tiverem diagnóstico positivo para a realização de um tratamento precoce que aumenta a sobrevida da pessoa.”

Repórter: Victor Costa

Fonte: Victor Costa