Uso de celular ao volante acelera número de acidentes em Teresina

A multa aplicada, caracterizada infração média, é R$ 85,13.

Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos mostra que os números de acidentes envolvendo pessoas dirigindo e usando o telefone celular para digitar mensagens de texto têm crescido exponencialmente em relação às colisões com pessoas alcoolizadas ao volante e que a conduta aumenta em até 400% o risco de colisões.


Image title

A multa aplicada, caracterizada infração média, é correspondente ao valor de R$ 85,13 e implica a perda de quatro pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

De acordo com o inspetor Almir Bílio, do Núcleo de Comunicação Social da Polícia Rodoviária Federal do Piauí (PRF-PI), a multa também vale para os motoristas que utilizam fone de ouvido no trânsito.

“A única possibilidade que ainda é permitida é o viva voz, não é permitido nem o uso de fone de ouvido, pois ele isola o barulho externo como um apito sonoro, uma buzina de alerta”, afirmou.

O policial rodoviário federal revelou que cresce o uso de celular ao volante para troca de mensagens principalmente no ambiente urbano e que é feito um trabalho de fiscalização nas rodovias do Estado, pelo uso de binóculos para conseguir flagrar o motorista sem que ele perceba que está sendo monitorado.

Ele afirma que esse tipo de infração está diretamente ligado à conduta do motorista perante o volante. “O tempo que a pessoa perde desviando o olhar para baixo e tirando a atenção da via, o veículo pode percorrer até 200 metros em questão de segundos dependendo da velocidade do automóvel.

A questão de digitar mensagem é pior ainda porque além de desviar a atenção, o motorista passa a conduzir com apenas uma mão, o que configura outra infração de trânsito”, declarou.

Image title

A PRF-PI registrou 164 multas com uso de telefone celular em rodovias federais em 2014 e até junho deste ano já foram autuados 115 motoristas. O inspetor acredita que o número deve ser superior ao do ano passado, pois ainda se encontra no meio do ano.

“Essa infração não é uma questão tipicamente rodoviária, mas urbana, no entanto, a consequência do uso do aparelho é bem mais grave, pois os veículos desenvolvem velocidades maiores e o tempo que o condutor desvia a atenção na rodovia faz com que os automóveis percorram uma distância muito maior. A consequência do acidente, quando acontece, também é bem mais grave em consequência da velocidade”, ponderou.

O inspetor defende que a infração está relacionada à conduta do motorista, ao contrário das negligências que são preexistentes, como um pneu malconservado ou lanternas quebradas.

Segundo ele, trata-se de uma infração de circulação de conduta que está ligada ao comportamento desse condutor no trânsito, além de possuir um efeito e risco imediatos.

“É a mesma questão do motorista decidir se fará uma ultrapassagem perigosa ou não. São condutas do motorista no trânsito. Ela é um indicador muito forte do grau de cidadania do condutor em determinado espaço viário”, concluiu.

Falar ao telefone é a 5ª infração mais cometida em Teresina

A gerente de Educação de Trânsito da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans), Samyra Motta, explica que na capital o sistema de monitoramento é realizado pelos agentes de trânsito espalhados em pontos estratégicos da cidade e que a infração de falar ao telefone enquanto dirige se configura como a 5ª mais cometida pelos condutores.

É o que mostra o levantamento das infrações realizado mensalmente pelo órgão, mas a gerente da Strans acredita que esse número pode ser bem maior. Segundo ela, o uso do celular para realizar telefonemas já um grande agravante e forma uma combinação de risco: digitar uma mensagem ao celular potencializa o perigo.

"Essa é uma das infrações que mais acontecem em Teresina, porque antes já tinha a questão do uso do celular para conversar e agora com uso exacerbado dos aplicativos de troca de mensagens essa junção não deu certo no trânsito. Além da atenção, tira também a visão do condutor.

Dessa forma, crescem as infrações e, consequentemente, os acidentes que podem ser de leve até capotamento como já ocorreu em Teresina", informou a gerente, acrescentado que a prática de digitar mensagens no trânsito tem se tornado comum, principalmente entre os jovens.

Segundo ela, a Strans tem a preocupação de realizar uma campanha permanente no sentido de prevenção e educação dos condutores sobre uso de celular no trânsito. "Nós sempre trabalhamos com essa questão, pois é uma atitude corriqueira dos motoristas.

A direção exige que atenção seja só para ela e, por isso, temos esses índices que são, na verdade, muito maiores, pois nem sempre os agentes conseguem capturar os condutores fazendo uso do celular, por vários fatores como uso de fumê nos vidros", explicou.

Governo lança campanha educativa

O Governo do Estado, por meio do Departamento Estadual de Trânsito do Piauí (Detran), lançou na sexta-feira (26) a campanha "Viva. Não mate, nem morra". A ação tem o apoio do Sistema Integrado de Comunicação Meio Norte.

O objetivo é reduzir os índices de acidentes de trânsito através de ações educativas com blitze educativas em escolas da rede pública estadual.

Os profissionais do Sistema Meio Norte vão contribuir com a divulgação de mensagens que chamem atenção para o respeito às leis de trânsito e as consequências da imprudência. A ação vai durar um ano.

Fonte: Waldelúcio Barbosa