Vacinação contra a gripe não será ampliada em 5 estados

Vacinação vai até durarem os estoques

Com o término da campanha de vacinação contra a gripe para os grupos prioritários (idosos, crianças, gestantes, trabalhadores da área da saúde, entre outros), pelo menos 11 estados mais o Distrito Federal devem liberar para o restante da população a partir desta segunda-feira (5).

Os estados que já confirmaram a liberação foram Acre, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Roraima e Santa Catarina, além do Distrito Federal.

Já os estados de Alagoas, Amapá, Ceará, Pernambuco e São Paulo não irão liberar a vacina pelo Sistema Único de Saúde.

Vacina contra a gripe deixará de ser oferecida apenas a grupos prioritários a partir da próxima segunda-feira (5) em vários estados, incluindo o Pará (Crédito: Reprodução)
Vacina contra a gripe deixará de ser oferecida apenas a grupos prioritários a partir da próxima segunda-feira (5) em vários estados, incluindo o Pará (Crédito: Reprodução)

Em outros 6 estados, não há definição sobre a liberação:

Amazonas: A chefe de Imunização da Semsa, Isabel Hernandes Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) de Manaus disse que 

Piauí: A secretaria estadual de saúde afirmou que a liberação não começa na segunda-feira, pois nessa data será feita uma reunião para definir os detalhes. Já a Fundação Municipal de Saúde de Teresina confirmou o início da vacinação para segunda.

Paraná: Segundo a Secretaria de Saúde, "a ampliação da oferta da vacina da gripe para outros grupos dependerá de análise técnica da comissão de infectologia" do órgão, "em consenso com os municípios".

Rio Grande do Norte: A Secretaria Estadual de Saúde Pública do Rio Grande do Norte (Sesap) disse que vai haver uma reunião na próxima segunda para decidir que medidas serão adotadas.

Tocantins: A Secretaria de Estado da Saúde disse que ainda não recebeu a norma técnica sobre a liberação e só vai definir se poderá aderir a determinação na segunda-feira.

Minas Gerais: A Secretaria estadual diz que ainda não foi notificada pelo Ministério da Saúde, e que deve haver definição nesta segunda.

Fonte: Com informações do G1