Vacinação contra febre aftosa vai até próximo dia 31, no PI

O Piauí está prestes a receber a certificação para área livre da aftosa.

Seguindo calendário, a segunda etapa da campanha da febre aftosa segue até o dia 31 de janeiro e os criadores devem atentar também para o prazo de certificação que vai até o dia 15 de fevereiro. Adiado por conta da estiagem, a campanha de vacinação poderá ter um novo calendário para o semiárido piauiense. Atualmente, a equipe técnica da Agência de Defesa Agropecuária do Piauí (ADAPI) realiza levantamento em campo, avaliando as possibilidades de prosseguir a vacinação.

Segundo José Antônio Filho, diretor-geral da ADAPI, a vacinação na região Sul tem ocorrido bem, no entanto, na região do semiárido, onde a seca tem castigado desde o final do ano de 2011, ainda encontram-se dificuldades. Hoje, trabalham diretamente no campo cerca de 200 técnicos e, segundo a ADAPI, a avaliação final deve chegar ao Ministério da Agricultura ainda na próxima segunda-feira, dia 28, quando será decidido se haverá ou não necessidade de um novo calendário para estas regiões.

?Estamos diretamente no campo acompanhando os criadores, em todas as regiões do Estado, orientando e fazendo avaliações dos locais. Pedimos também compreensão por parte dos criadores, pois a vacinação é também um benefício para eles que poderão expor seus animais, expor e vender, sem barreiras?, conta José Antônio.

Espera-se que a campanha atinja mais de 90% da vacinação. Para a ADAPI, com a mudança de certificação para área livre da aftosa, o Piauí ganhará destaque no país, visto que poderá comercializar com todos os estados brasileiros sem nenhum embargo, além de fomentar a valorização do gado local.

O rebanho atual no Piauí chega a mais de 1,7 milhão de bovinos, distribuídos entre 73.100 criadores. Estima-se que a certificação deve sair ainda no mês de maio deste ano.Para o diretor da Adapi, José Antônio Filho, os resultados obtidos pelo órgão nos últimos anos é fruto do atual plano de metas realizado. Segundo ele, em 2012 atingiu-se todos os objetivos previstos, devido a uma maior organização e cobrança por resultados. ?Hoje, criamos uma consciência nos criadores e eles sabem da importância da vacinação para o seu rebanho?, ressalta.

Fonte: Sarah Fontenelle