Valcke perde a paciência e critica Brasil: Não está funcionando

Secretário-geral da Fifa critica demora da aprovação da Lei Geral


Valcke perde a paciência e critica Brasil: â??Não está funcionandoâ??
A demora na aprovação da Lei Geral da Copa parece ter tirado de vez a Fifa do sério. Nesta sexta-feira, no encontro da International Board, em Bagshot, na Inglaterra, o secretário-geral da entidade, Jérôme Valcke, fez duras críticas ao andamento dos preparativos para o Mundial no Brasil em 2014.

- Lamento dizer, mas as coisas não estão funcionando no Brasil - disse o dirigente, à agência Reuters.

Valcke, que normalmente não costuma distribuir elogios gratuitos, foi mais duro do que o normal. Para o dirigente, os organizadores da Copa de 2014 deveriam receber ?um empurrão nas costas", uma vez que ?pouco está acontecendo no Brasil?.

As maiores preocupações da Fifa, segundo Valcke, dizem respeito a questões de transportes e hotelaria. Além, é claro, da demora para a aprovação da Lei Geral.

Não existe um "plano B" para o Brasil. Nossa maior preocupação é preparar o Brasil para receber tanta gente, já que muitas pessoas querem ir ao país durante a Copa"

Jérôme Valcke

- Deveríamos ter recebido esses documentos assinados até 2007, e estamos em 2012. Não há hotéis suficientes. Apenas São Paulo e Rio de Janeiro têm quartos suficientes. Se pensarmos em Manaus, por exemplo, precisamos de mais quartos ? frisou o dirigente, que também criticou o difícil acesso à Arena da Fonte Nova, em Salvador. Valcke esteve na cidade em janeiro.

Jérôme Valcke garantiu que os brasileiros não correm o risco de ficar sem a Copa do Mundo, uma vez que a Fifa não trabalha com uma segunda opção. Mas se mostrou preocupado com a situação dos torcedores de todo o mundo que pretendem vir ao Brasil durante o Mundial.

- Não existe um "plano B" para o Brasil. Nossa maior preocupação é preparar o Brasil para receber tanta gente, já que muitas pessoas querem ir ao país durante a Copa.

Por fim, o dirigente provocou mais uma vez a organização da Copa, comparando a preparação do Brasil com a da África do Sul e dizendo que os brasileiros estão mais preocupados em ganhar a Copa do que organizá-la.

- A prioridade da África do Sul foi organizar a Copa do Mundo, não ganhá-la. Parece que todos no Brasil só pensam em ganhar a Copa, e isso precisa mudar - disse o dirigente que, curiosamente, em janeiro, falou que a Copa do Mundo só seria perfeita para os brasileiros caso a Seleção Brasileira conquistasse o hexacampeonato.

As declarações de Jérôme Valcke se dão dois dias após a votação da Lei Geral ser adiada para a próxima semana. Em sua última visita ao país, em janeiro, o dirigente cobrou a rápida aprovação da lei. Procurado, o COL não quis se pronunciar, alegando que as críticas do secretário-geral foram direcionadas ao governo brasileiro e ao setor privado. Já a assessoria de imprensa do ministério do Esporte informou que não vai se pronunciar, nesta sexta, a respeito das declarações de Valcke. O ministro Aldo Rebelo vai conceder uma entrevista coletiva às 10h deste sábado, em São Paulo.

Valcke chega ao Brasil no dia 12 de março para a segunda de suas visitas bimestrais em 2012 às cidades-sede. No mesmo dia, irá a Recife visitar, ao lado dos ex-jogadores Bebeto e Ronaldo, a Arena Pernambuco, candidata a receber jogos da Copa das Confederações. No dia seguinte, a comitiva segue para Brasília para uma vistoria ao Estádio Nacional Mané Garrincha, palco da abertura da Copa das Confederações, em 2013.

Na dia 14, a comitiva da Fifa se reunirá na capital federal com membros do Comitê Organizador Local (COL) e com o ministro dos esportes, Aldo Rebelo, para avaliar os próximos passos na preparação para o Mundial. Encerrando a agenda, Valcke irá a Cuiabá conhecer a Arena Pantanal, no dia 15.

Fonte: G1