Veículos passarão a usar placas refletivas, diz Detran do Estado do PI

A adoção das novas placas dificultará a clonagem, o roubo e o furto de veículos.

Todos os veículos novos no Piauí, emplacados a partir deste mês, passarão a usar placas refletivas. Segundo o diretor geral do Departamento de Trânsito do Piauí, Antônio Vasconcelos, essa medida obedece à Resolução 372 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que exige o uso de placas refletivas para veículos automotores. No Piauí, ela também ajudará a coibir a produção de placas clandestinas no estado, de acordo com o diretor do órgão.

O uso das placas e tarjetas refletivas será obrigatório para todos os tipos de veículos, desde que sejam novos e seu primeiro emplacamento aconteça a partir de 1° abril ou que tenham sua documentação transferida para outro Estado ou município a partir dessa mesma data.

A adoção das novas placas, segundo Antônio Vasconcelos, também dificultará a clonagem, o roubo e o furto de veículos. ?Hoje as pessoas falsificam uma placa de forma muito prática. Existem muitas oficinas no interior do estado que fazem isso. Essa medida vai coibir essa prática e dá mais segurança ao motorista. Essa é um questão seríssima no Piauí e precisa ser combatida. Por isso, todos os cidadãos que têm um veículo novo terão a placa refletiva?, disse.

A nova placa terá um código de barras. ?Com essa medida ficará mais difícil clonar uma placa. Antes qualquer pessoa pegava um pedaço de ferro e imprimia o número da placa de outras pessoas e as duas placas circulavam pelas estradas. Dessa forma, placas eram produzidas clandestinamente, sem nenhum credenciamento?, pontuou.

Projeto visa reduzir vítimas fatais

Thauana Cavalcante

O trânsito em Teresina está cada vez mais problemático e por conta disso o número de vítimas fatais em acidentes tem crescido bastante. Visando reduzir esse número, a Strans já vem desenvolvendo um projeto desde 2010.

O projeto desenvolvido possui dois focos principais. De acordo com Aldea Lima, coordenadora da comissão executiva do projeto, o primeiro foco é a melhoria na qualidade das informações sobre acidentes de trânsito e o segundo refere-se à união dos órgãos no tocante às intervenções relacionadas a fatores de risco.

Segundo a coordenadora, existe uma comissão formada por 20 instituições que trabalham atuando e intervindo.

?Nós temos profissionais capacitados para exercer essa atividade, porém esse é um trabalho de toda a cidade e não somente de um grupo fechado. As escolas, empresas e outros órgãos também podem nos auxiliar?, ressaltou. ?Essa é uma ação que tem trazido resultados satisfatórios?, completou a coordenadora.

Aldea Lima explicou que ocorreu uma redução significativa do número de vítimas em acidentes fatais no ano de 2011 comparado ao de 2010. ?Tivemos uma redução de 34% em números absolutos. Em termos proporcionais tivemos uma redução de 41%?, afirmou.

Fonte: Pollyanna Carvalho