Veículos longos são proibidos de estacionar no centro de Teresina, diz Strans

A proibição obriga os motoristas a estacionarem em alguns locais para fazer a descarga de mercadorias e eles acusam o órgão responsável de não planejar estratégias para atender esta demanda comercial

Os veículos longos - de comprimento até 7 metros - estão na mira da fiscalização. Mesmo com o decreto que permite a circulação de caminhões do tipo pelas Avenidas Miguel Rosa e Maranhão durante o horário comercial, eles estão sendo multados. O motivo é a implementação das vias exclusivas para ônibus, que proíbem qualquer veículo de estacionar nestes locais.

A proibição obriga os motoristas a estacionarem em alguns locais para fazer a descarga de mercadorias e eles acusam o órgão responsável de não planejar estratégias para atender esta demanda comercial.

"O centro continua sendo um dos polos de compras mais importantes da capital. As mercadorias precisam ser entregues nos estabelecimentos, mas estão nos impedindo de abastecer um mercado por causa de uma determinação que prejudica lojas e afeta diretamente a população.

Se eu for multado, o dinheiro vai sair do meu bolso, e não da loja. Mas o lucro é muito pouco e não há condições de pagar por uma multa a cada vez que eu for estacionar. A Strans poderia apresentar uma solução, além de nos multar", reclama o motorista Régis da Silva.

O diretor de Trânsito e Sistema Viário da Strans, José Falcão, rebate as críticas e explica o motivo da penalidade. "Estamos promovendo uma reorganização dessas vias no centro da cidade.

É permitido que estes veículos estacionem na área de carga e descarga, em cada dois quarteirões há uma área deste tipo e quem estacionar nesses lugares não sofrerá penalidades. Já os caminhões maiores só podem trafegar a partir das 18h", fala.

Na faixa exclusiva para ônibus, é estritamente proibido estacionar. Os motoristas devem procurar uma alternativa, preferencialmente em vias particulares, pois não atrapalham o serviço de descarga de mercadorias.

"A criação da faixa exclusiva existe para beneficiar um grande número de pessoas que utilizam o serviço. Este contingente é muito superior aos que realizam carga e descarga de material. Então, as medidas de trânsito existem para beneficiar o maior número de pessoas", pontua Falcão.

 

Fonte: Olegário Borges