Veto no Fashion Rio da brasileira que leiloou sua virgindade por R$ 1,5 mi causa polêmica

Veto no Fashion Rio da brasileira que leiloou sua virgindade por R$ 1,5 mi causa polêmica

O veto à jovem teria partido de Paulo Borges, o chefão do Fashion Rio.

E a virgem não teve a sua primeira vez no Fashion Rio. A participação de Catarina Migliorini no desfile da TNG, ontem, às 22h, no evento, foi cancelada na última hora, depois de a grife ter anunciado que ela seria a estrela do show, ao lado do ator Rodrigo Lombardi, o Théo de ?Salve Jorge?. Os desfiles, que começaram ontem no Píer Mauá, seguem até amanhã apresentando o que será moda no inverno 2013. A catarinense de 20 anos, que ficou famosa por ter leiloado a virgindade por R$ 1,5 milhão para um japonês, por conta do documentário ?Virgins Wanted?, veio da Austrália e, hospedada no Rio, foi convidada somente para assistir à apresentação na primeira fila da plateia.

O veto à jovem teria partido de Paulo Borges, o chefão do Fashion Rio, que não gostou de associar a imagem do evento com a da moça. ?Não falo em nome das marcas. Só posso falar em nome do evento. Não lido com o conteúdo (desfile), o estilista é responsável pelo bem e pelo mal do que acontece na passarela. Não é uma questão de me desagradar, acho que a decisão da TNG aconteceu por eles terem recebido críticas nas redes sociais e tiveram bom-senso?, desconversou Paulo Borges.


Veto no Fashion Rio da brasileira que leiloou sua virgindade por R$ 1,5 mi causa polêmica

Veto no Fashion Rio da brasileira que leiloou sua virgindade por R$ 1,5 mi causa polêmica

Veto no Fashion Rio da brasileira que leiloou sua virgindade por R$ 1,5 mi causa polêmica

O diretor geral da marca, Tito Bessa Jr., teria resistido o quanto pôde, até pelo fato de Catarina ter assinado um contrato milionário com a grife e ter voltado ao Brasil só para isso. Mas ele teria recuado diante de possíveis futuras represálias da organização do evento. ?Desisti em respeito aos meus clientes e por conta da repercussão negativa. A marca não tem preconceitos, mas quando fazemos uma ação que não agrada nossos clientes, o mais certo é tirar?, apaziguou o empresário.

Fonte: O Dia Online