Vídeo contradiz versão de faculdade sobre morte de estudante

Vídeo contradiz versão de faculdade sobre morte de estudante

Angelita morreu após ter uma parada cardíaca durante aula do curso de ciências contábeis.

Um vídeo, feito por um aluno da instituição Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU), contradiz a versão da instituição sobre a morte da estudante Angelita Pinto Simões Caldas, 28 anos, na quinta-feira, na unidade do Itaim Bibi, zona oeste de São Paulo. Angelita morreu após ter uma parada cardíaca durante aula do curso de ciências contábeis. A FMU afirmou anteontem que o primeiro atendimento, pelos bombeiros, foi às 21h51. A prefeitura disse que o Samu chegou às 22h05. Mas o vídeo gravado pelo estudante Rodrigo Dias Pedro mostra um relógio marcando 22h11 enquanto uma aluna faz massagem cardíaca em Angelita, e nenhuma das duas corporações estavam no local. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

Outro vídeo exibe um bombeiro chegando, minutos depois. As imagens não mostram quando Angelita começou a passar mal, mas, segundo alunos e o professor que dava a aula, foi às 21h30. Sendo assim, teriam sido ao menos 42 minutos até a chegada dos bombeiros. O atendimento rápido em caso de parada cardíaca amplia a chance de sobrevivência do paciente. Angelita sofria de arritmia e havia parado de tomar o remédio há cerca de um mês, após visitar o médico. No entanto, segundo seu marido, José Carlos dos Santos, 44 anos, ela estava bem. "Se tivesse sido socorrida a tempo, talvez estivesse viva." Questionada pelo jornal, a prefeitura manteve os horários informados anteontem. O Corpo de Bombeiros disse que apura os horários.

Fonte: Terra