Vigilância Sanitária estabelece regras para vendas de sushi em Teresina

"Foi dado um prazo de 30 dias, a contar do último dia 23 de março, para que as empresas se adequem às exigências da Vigilância Sanitária", explicou a técnica Jeanine Seba.

Receitas orientais, especialmente sushi e sashimi, são alimentos que caíram no gosto dos teresinenses. O número de estabelecimentos que comercializam esse tipo de produto vem aumentando muito na capital. Por isso, a Vigilância Sanitária do município está adotando medidas visando a saúde dos consumidores.


Os técnicos da Fundação Municipal de Saúde (FMS) estiveram reunidos com representantes de 28 restaurantes e repassaram medidas para disciplinar o comércio destes produtos, objetivando minimizar riscos para os consumidores.

"Foi dado um prazo de 30 dias, a contar do último dia 23 de março, para que as empresas se adequem às exigências da Vigilância Sanitária", explicou a técnica Jeanine Seba.

Dentre as determinações, foi exigida a implantação das Boas Práticas Para Serviço de Alimentação, atendendo a RDC 216 ANVISA e o Código Sanitário de Teresina. Devem ser usados produtos de origem animal com registro em órgão competente de fiscalização sanitária e os alimentos devem estar em barreiras de proteção que previnam sua contaminação em decorrência da proximidade ou da ação do consumidor e de outras fontes.

Também foi pedido rigor na manutenção de temperatura, que deve ser inferior a 5ºC para produtos crus ou mantidos refrigerados e acima de 60ºC para os cozidos ou do tipo hot.

"Os consumidores também podem ajudar nesta fiscalização, estando atentos às condições de higiene e manutenção dos alimentos", aconselha Jeanine Seba.

Observar se o local está limpo, se os funcionários estão com roupas limpas, unhas curtas e cabelos presos e protegidos e se as normas sanitárias estão sendo seguidas são algumas das ações que podem ser adotadas no dia a dia.

Para alimentos crus, como alguns tipos de sushi e sashimi, é recomendável que seja dada preferência aos que são preparados na hora e proceder ao consumo imediato.

Qualquer estabelecimento fora do padrão pode ser denunciado à Vigilância Sanitária. Basta entrar em contato pelos telefones 3215-9102 ou 3215-9115, de segunda a sexta, das 7h30 às 17h30.

 

Fonte: Jornal Meio Norte