Vigilância Sanitária fiscaliza alimentos e bebidas comercializados

Um dos aspectos observados será o acondicionamento de maionese.

O corso é um momento de alegria e fica melhor ainda quando celebrado com saúde. Para garantir isso, a Vigilância Sanitária Municipal estará fiscalizando todos os comerciantes de alimentos presentes no local, de forma a evitar o consumo de produtos que não respeitem as normas de segurança alimentar.

A equipe de fiscais começa a atuar a partir das 9h no sábado (30), dia do evento. Um total de 825 ambulantes e permissionários estão cadastrados, e todos serão visitados pelos profissionais. “Serão levados em conta fatores como o manuseio dos alimentos, o uniforme dos vendedores, assim como o acondicionamento dos produtos”, conta Francisco Cesário, gerente de Vigilância Sanitária da Fundação Municipal de Saúde (FMS).

O gerente explica que os vendedores devem estar uniformizados, usando avental, touca e luvas. O responsável pelos alimentos não deve manipular dinheiro nem usar nenhum tipo de adorno. “Pratos e talheres devem ser descartáveis e, para garantir que não haja reutilização, aconselhamos os clientes a destruir estes utensílios logo após seu uso, bem como quebrar os palitos de churrasco”, aconselha Francisco Cesário.

Um dos aspectos observados será o acondicionamento de maionese, ketchup e molhos (que não devem estar disponíveis em bisnagas, e sim em sachês industrializados) e dos próprios alimentos, que não podem estar expostos a insetos, poeira e outros agentes contaminantes.

 A venda de água, refrigerantes e outras bebidas também passará por fiscalização. Serão observadas a data de validade e também os lacres das garrafas de água mineral – para evitar falsificações – bem como o acondicionamento dos produtos. As mercadorias que estiverem fora das especificações serão recolhidas pelas equipes e os ambulantes serão cabíveis de penalidades como descredenciamento, suspensão e multa.

Fonte: Com informações da Assessoria