Vigilantes reclamam de atraso salarial e dizem que leis trabalhaistas não estão sendo cumpridas

Dentre as principais reclamações estão quase dois meses de atraso salarial e seis meses de atraso do ticket alimentação.

CONFIRA A REPORTAGEM COMPLETA NA EDIÇÃO DESTA QUINTA-FEIRA (23) DO JORNAL MEIO NORTE

Os vigilantes que trabalham para uma empresa de segurança do Sul do Piauí estão reclamando que as leis trabalhistas não estão sendo cumpridas. Dentre as principais reclamações estão quase dois meses de atraso salarial e seis meses de atraso do ticket alimentação.

“Dia 5 do próximo mês vai fazer dois meses que estamos com nossos salários atrasados e seis meses de atraso do ticket alimentação. A situação está complicada, pois não é fácil trabalhar sem receber por isso. Mas as pessoas não reclamam, pois tem medo de perder o emprego. Dessa forma, vamos ficando submissos a essa situação”, reclamou, um dos vigilantes que não quis ter seu nome revelado.

O presidente do Sindicato dos Vigilantes do Piauí, André Lima, afirma que das 60 empresas de segurança do Estado, cerca de 45 são orgânicas e contratam os vigilantes, e as restantes são prestadoras de serviço, tem no seu quadro vigilantes que prestam serviços. Dentre estas últimas, existem, segundo o sindicalista, cerca de três que estão passando por momentos de dificuldades financeiras.

Clique e curta o Portal Meio Norte no Facebook

 

Repórter: Pollyana Carvalho

Fonte: Pollyana Carvalho