Viola visita Zé Elias na prisão e questiona pensão de R$ 25 mil

Ex-atacante revela ainda que amigo está preocupado com os filhos



O ex-jogador Zé Elias, que está preso por não pagamento de pensão alimentícia, recebeu uma visita ilustre: Viola, que jogou com o aposentado volante entre 94 e 95 no Corinthians. O ex-atacante esteve no 33º Distrito Policial de Vila Mangalot, em Pirituba, para dar apoio ao amigo, e se mostrou indignado com o pedido de pensão de R$ 25 mil imposto pela ex-mulher de Zé Elias, que exige ainda R$ 1 milhão pelo período em que os vencimentos não foram pagos.

- É uma situação triste para a classe de jogadores. Conheço o Zé desde 94, sempre foi um profissional exemplar e um sujeito muito ligado à família. Não tem como pagar R$ 25 mil por mês, um ex-jogador não tem a menor condição de arcar com isso. Se for para pagar isso aí daqui a pouco eu estarei aqui também, imagina se pedem isso para mim? - questionou o ex-atacante, até com certo bom humor.

Pela regra do Distrito, Zé Elias não poderia receber visitas nesta sexta-feira. O dia para encontrar amigos e parentes está marcado para a próxima quarta-feira. Mas a delegacia abriu uma exceção para Viola por ele se tratar de uma pessoa pública, cuja presença não causaria objeção dos demais presos. O ex-atacante ficou a dois metros de distância da cela de Zé Elias e conversou com o amigo por cerca de dez minutos. Ele revelou a maior preocupação do ex-volante: o bem estar dos dois filhos.

- O Zé está tranquilo pela condição dele, mas preocupado de os filhos virarem motivo de chacota na escola. Ele gostaria de fazer mais pelos filhos, mas neste momento está impossibilitado financeiramente - acrescentou Viola.

A noite de quinta para sexta-feira foi a primeira de Zé Elias no 33º Distrito Policial de Vila Mangalot. Segundo informações do investigador de polícia Rodrigo de Lima Souza, o ex-atleta fez até sucesso com os demais presos, relembrando os dias gloriosos de jogador do Corinthians, e tirou fotos com os outros detentos. Ele está na cela com mais sete homens, e o Distrito recebe, nesta sexta, 68 detentos, todos por não pagamento de pensão, mas a rotatividade é grande. Todos almoçam e jantam juntos. Enquanto segue preso, o ex-jogador aguarda um alvará de soltura. Rita de Cássia Alves Moura, advogada de Zé Elias, está tentando a liberação dele, o que pode ocorrer ainda nesta sexta.

Fonte: Globo