Wellington autoriza projeto que vai monitorar centro de Teresina

O sistema contará com o uso de 30 câmeras de monitoramento

O governador Wellington Dias aprovou em reunião, nesta segunda-feira (11), com o secretário estadual de Segurança Pública, Fábio Abreu, o projeto que usa câmeras de monitoramento no centro de Teresina. A proposta está em fase de licitação dos equipamentos e inclui, além da parte de vídeo, uma base fixa.

A ideia também é oferecer à população e aos comerciantes do centro a oportunidade de interligar-se com o sistema de monitoramento da polícia através de um link. Segundo o secretário Fábio Abreu, para se interligar ao sistema, basta o interessado adquirir uma câmera do mesmo modelo da utilizada pela polícia no videomonitoramento.

De acordo com o governador Wellington Dias, a iniciativa busca reduzir os índices de violência no centro da capital a exemplo do sistema em uso na Vila Jerusalém, na zona sul de Teresina. “O resultado nas regiões em que implementamos esse sistema é muito bom com a queda no número de homicídios, de roubo, de assaltos e ajuda a desvendar os crimes praticados”, afirma o chefe do executivo estadual.

O sistema contará com o uso de 30 câmeras de monitoramento, com o acompanhamento 24 horas integrado com a área de segurança. “Vamos instalar câmeras de segurança nas praças e ruas do centro e teremos uma base, uma central, instalada em um contêiner que, a princípio, deve ficar na Praça da Bandeira e contará com policiais e uma viatura”, destacou Fábio Abreu.

O governador Wellington Dias destaca ainda que além do policiamento ostensivo o monitoramento contribuirá também para dar uma maior celeridade a processos judiciais que necessitem coletar provas para comprovar a autoria de delitos. Para isso, será realizada uma reunião com o Comitê Integrado de Segurança e Justiça do estado em que será apresentado a proposta de unificação desse trabalho “O objetivo é ter, com as novas câmeras criminais, uma maior celeridade nos julgamentos das pessoas que são presas várias vezes, que cometem crimes, criam um terror na sociedade e ter maior velocidade nesses julgamentos”, ressaltou.

Fonte: Com informações do Portal do Governo