Zoonoses faz recolhimento permanente de pneus em combate a dengue

Foram notificados 4.595 casos de dengue em Teresina.

Pneus velhos, quando expostos aos ambientes abertos, estão entre os objetos mais propícios ao acúmulo de água e, consequentemente, à proliferação do mosquito causador da dengue – o Aedes aegypti. Pensando nisso, a Gerência de Zoonoses da Fundação Municipal de Saúde (FMS) realiza um trabalho diário e permanente de recolhimento deste material.

Dois caminhões, além dos carros de supervisão dos agentes de endemias, percorrem diariamente vias, logradouros públicos e pequenas borracharias. “Os pneus são considerados um criadouro importante do mosquito da dengue e por isso merecem atenção especial”, explica Oriana Bezerra, gerente de Zoonoses da FMS. “É comum as pessoas abandonarem estes materiais em vias públicas, por isso a atenção especial ao recolhimento destes objetos”, afirma ela.

A demanda é alta. No período de janeiro até agosto deste ano, foram recolhidos 161.702 pneus, dos quais 19.416 foram somente no mês de agosto. O material é encaminhado para a borracharia Bonfim, empresa que tem convênio com a Prefeitura de Teresina, para reciclagem. "Esse trabalho é contínuo, tendo em vista que a dengue deve ser combatida durante todo o ano e não apenas em período chuvoso", lembra Oriana.

Até o último dia 29 de setembro, foram notificados 4.595 casos de dengue em Teresina. Os bairros com maior número de casos neste período foram Santa Maria da Codipi (307 casos), Parque Brasil (208 casos) e Mocambinho (187 casos).

A dengue é uma doença cuja principal forma de combate reside nas pequenas ações do dia a dia. “Devemos evitar o acúmulo de água em qualquer tipo de depósito, como pneus, garrafas, vasos de plantas, e até mesmo tampa de garrafa. É uma medida muito efetiva que todos podem tomar”, orienta Oriana Bezerra.

Os sintomas da doença se manifestam a partir do 3° dia depois da picada do mosquito. Febre alta com início súbito, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, perda de paladar e apetite, manchas e erupções na pele, náuseas e vômitos, tonturas, extremo cansaço, moleza e dor no corpo, além de dores nos ossos e articulações são alguns dos sinais.

Image title


Fonte: Assessoria