SEÇÕES

Chico Lucas diz que Reforma não amplia despesas e reduz estrutura no Piauí

De acordo com o coordenador de transição, a minirreforma segue o que foi preconizado no Programa de Governo, o qual contou com a participação de mais de mil personalidades na sua elaboração.

FACEBOOK WHATSAPP TWITTER TELEGRAM MESSENGER

Futuro secretário de Segurança e coordenador da transição, Chico Lucas concedeu entrevista nesta terça-feira, 22 de novembro, ao Jornal Agora, na Rede Meio Norte; na ocasião, ele comentou sobre os ajustes administrativos em curso, anunciados pelo governador eleito Rafael Fonteles (PT), e que passarão pela Assembleia Legislativa. O gestor indicou que o foco está direcionado no ganho de eficiência sem aumento nas despesas. "A grande preocupação da Reforma é não haver aumento de despesa. Tudo isso pra melhorar a prestação de serviço e diminuir dentro do possível as despesas com a redução de estruturas". 

Chico Lucas pontuou que a última lei que alterou a estrutura dos órgãos estaduais é datada de 2003, assim, ele sinaliza o desejo de se dar 'racionalidade ao Sistema'. "Primeiro só um esclarecimento, não foi comunicado ainda não, ele apenas anunciou quais as linhas de Reforma Administrativa, o Governo tem uma série de atribuições que divide os órgãos, o que nós queremos mais uma vez é dar racionalidade ao Sistema. Do jeito que está a Emater ela precisava ser repensada, a Emater vira SADA e a ADAPI fica vinculada a essa Secretaria". 

As discussões têm sido centradas em comissões, que visam, inclusive dar todo o escopo jurídico e legal para as adequações. "A gente criou uma comissão de administração, orçamento, articulação política e transformação digital. A Comissão de Administração vai discutir todos os aspectos, para sistematizar e melhorar o serviço para população". 

Chico Lucas em entrevista ao Agora (Foto: Tauany Oliveira)

De acordo com o coordenador de transição, a minirreforma segue o que foi preconizado no Programa de Governo, o qual contou com a participação de mais de mil personalidades na sua elaboração. Chico Lucas frisa que Rafael levou 'a sério' a construção das propostas

"Durante a campanha tem uma coisa que nos deixava um pouco impressionada, o governador eleito discutiu o programa de Governo, ele levou a sério o programa de Governo, o que ele anunciou é o que foi construído no programa de Governo". 

O futuro secretário ainda explicou a importância direcionada a determinados órgãos na Reforma Administrativa, como a Investe Piauí, que concentrará as ações de fomento ao investimento em solo local. "Nós tivemos ontem a primeira exportação da ZPE, isso por conta do trabalho da Investe Piauí, assim todas as ações de desenvolvimento econômico ficarão concentradas na Investe Piauí, tudo vem para racionalizar, diminuir a estrutura do Estado e melhorar a eficiência dos serviços". 

Escolha para o Comando das Polícias

Com a permanência do Coronel Scheiwann Lopes no comando da Polícia Militar, Chico Lucas explicou a escolha, destacando que ele está no posto há somente sete meses e já vem demonstrando um bom trabalho. "Venho discutindo muito e é um problema sério, a segurança pública hoje é um dos maiores problemas do Estado, e o governador Rafael nos deu essa missão, e resolvemos manter o comandante Scheiwann, porque ele está há apenas 7 meses no Comando, e já desenvolvendo um bom trabalho".

Quanto ao comando da Polícia Civil, Chico Lucas sinalizou que tem discutindo com os delegados, citando três nomes: Lucy Keiko, Jetan Pinheiro e Matheus Zanatta. "Tô discutindo com vários delegados, em especial com o Delegado Geral Lucy Keiko, assim como delegados jovens como Jetan, o Zanatta, eu digo que esses três estarão na minha equipe, só não sei em qual posição". 

Chico Lucas em entrevista ao Jogo do Poder (Foto: Tauany Oliveira)

O futuro secretário de Segurança ainda frisou que após o retorno de Rafael Fonteles ao Piauí deixará a transição, cuidando apenas das trativas relativas à área. "Depois que o Rafael voltar da viagem, vou me debruçar única e exclusivamente para a Segurança Pública. Tudo com muita cautela, até porque temos uma governadora até o dia 31". 

No que se refere às prioridades da gestão, o futuro secretário frisou que o Governo Rafael terá como prioridade o social, mas focando também no desenvolvimento econômico, com a geração de emprego e renda. "Queremos uma transição serena, estamos fazendo uma transição muito mais pensando no Planejamento nos próximos quatro anos. A preocupação social vai ser de fato a marca do Governo, com a geração de emprego e renda. Ela vai cuidar dessa parte tão importante, estratégica. É um povo que era invisível, tanto que nos últimos anos no Governo Bolsonaro eles sofreram muito, e aqui vamos ampliar essa atenção". 

Cada Secretaria será monitorada

O coordenador de transição confirmou que o governador eleito Rafael Fonteles irá monitorar o trabalho de todos os secretários, cobrando o cumprimento das metas estabelecidas. 

"Ele vai monitorar cada Secretaria se está cumprindo ou não o Plano de Governo. Todo mundo trabalha com alguma meta e algum objetivo, e o setor público também tem seus objetivos, que é a qualidade, essa marca que queremos deixar: que o serviço público funcione para todos, indistintivamente". 

"Prefeiturinha"

Sobre a criação de uma Coordenadoria Metropolitana que englobará Teresina e Parnaíba, Chico Lucas negou qualquer conflito com a função das Prefeituras, frisando que as estruturas funcionarão como agregadoras ao trabalho, citando por exemplo a questão do transporte entre os municípios da região metropolitana das cidades abarcadas. "Na verdade eu vejo uma estrutura que vai dialogar com as Prefeituras, então existem problemas que eles atravessam o limite dos municípios: vou citar um, o transporte. Precisamos ter um órgão que articule essas ações, vai ajudar a articular a questão da mobilidade urbana, do saneamento, do lixo, questões que perpassam os municípios; eu vejo ela como uma forte parceira dos municípios. Ele vai discutir com a base, vai tratar republicanamente todos". 

Em relação a indicação para a Coordenadoria, o coordenador disse que Rafael Fonteles dialogará com os aliados. "Vai escutar, vai discutir, debater, essa decisão é entre os políticos, os eleitos, estão aqui mais como técnico. A transição é tranquila, é mais discutir o Orçamento, a transformação digital e ele quer discutir isso rápido". 

Cotado para concorrer a Prefeitura de Teresina em 2024,  Chico Lucas frisou que Rafael pediu empenho máximo nas pastas, rechaçando a discussão sobre a disputa eleitoral. "Fico feliz do meu nome ser lembrado, eu disputei uma eleição de classe, e na conversa com o governador Rafael ele pediu o máximo compromisso com as pastas", complementou.

Veja Também
Tópicos