Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Cobras que comem órgãos de sapos vivos são vistas pela primeira vez

Observados na Tailândia, esses répteis inserem toda sua cabeça no corpo dos anfíbios e retira os órgãos, um a um. Mesmo que os sapos tentem lutar para sobreviver, o esforço é em vão

Compartilhe

Enquanto a maioria das cobras abocanha de uma vez suas presas, uma serpente encontrada na Tailândia tem um apetite, digamos, mais contido — e um tanto macabro. Segundo um estudo publicado em setembro no periódico Herpetozoa, as cobras da espécie Oligodon fasciolatus devoram sapos ainda vivos, comendo aos poucos cada um de seus órgãos.

A pesquisa foi conduzida por uma equipe formada por cientistas da Dinamarca e da Tailândia, liderados pelo herpetologista Henrik Bringsøe. Os pesquisadores documentaram três ocasiões em que a cobra abre o abdômen de um sapo — e não é qualquer sapo: todos são da espécie Duttaphrynus melanostictus, conhecida por secretar, a partir de glândulas no pescoço, um veneno potente.

Cobra devora órgãos de sapos vivos (Imagem: WET)

A serpente insere toda sua cabeça e retira, um a um, os órgãos do anfíbio ainda vivo. Embora os sapos tentem lutar, todas as situações observadas foram em vão. Os ataques podem durar algumas horas, dependendo dos órgãos que a cobra arrancar primeiro.

Os pesquisadores se perguntam: será que as cobras adotaram essa abordagem sofisticada para evitar serem envenenadas? Em um quarto caso, uma cobra comeu por inteiro um sapo menor, mas da mesma espécie. Uma hipótese é que animais menores sejam menos tóxicos. Outra ideia é que essas cobras possam ser resistentes ao veneno do anfíbio.

Felizmente, essa espécie de cobra é inofensiva para os humanos. No entanto, Bringsøe não recomendaria ser mordido por ela. “O fato é que elas podem causar grandes feridas que sangram por horas, por causa do agente anticoagulante que injetam na corrente sanguínea da vítima", diz o pesquisador, em nota.



Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar