18 fatos muito interessantes sobre o sexo

18 fatos muito interessantes sobre o sexo

1. Um orgasmo pode ser capaz de melhorar sua sinusite. Isto segundo um artigo no Journal of Medical Hypotheses e vários comentários logo abaixo do post deste blog que se referiu ao artigo.

2. Os homens já tiveram pênis com espinhos. Chimpanzés, macacos, ratos e gatos (foto) ainda têm. Mas, felizmente, em algum ponto ao longo da nossa evolução, os seres humanos perderam a parte do DNAque daria aos homens uma certa textura de espeto no pênis.

3. O sexo pode apagar temporariamente a sua memória. Em 2011, houve um caso amplamente divulgado de uma mulher que sofreu perda de memória imediatamente após o orgasmo. Conforme relatado no Journal of Emergency Medicine, “”tanto a paciente quanto seu marido relataram que, após o clímax ela foi incapaz de recordar acontecimentos das 24 horas precedentes. Além disso, teve dificuldade em incorporar novas lembranças”.

4. O consumo de maçã tem sido associado a uma melhor qualidade de vida sexual. Um estudo dividiu 731 mulheres em dois grupos: as que comiam pelo menos uma maçã por dia, e as que não comiam. As mulheres que comiam maçãs registraram um índice significativamente maior de função sexual feminina do que as do outro grupo.

5. O clitóris é, em média, do tamanho de uma abobrinha mediana. O pouco que você pode ver é, basicamente, apenas a ponta do iceberg.

6. Há cerca de 8 mil terminações nervosas no clitóris. E uma concentração mais elevada de fibras nervosas do que na língua e nos dedos.

7. Os homens baixos afirmam que fazem mais sexo do que as mulheres. Se eles realmente fazem não se sabe, porque o estudo baseou-se em relatos pessoais.

8. Não há relação entre o tamanho do pênis e o número do calçado. Este estudo mostrou que você não pode prever o tamanho do pênis olhando para os sapatos de um indivíduo.

9. O uso da camisinha não faz diferença na duração da ereção. Este estudo recrutou 500 casais de cinco países e mediu o “tempo de latência ejaculatória intravaginal”, ou seja, quanto tempo o parceiro masculino demorou a gozar. A média foi de pouco mais de cinco minutos (com uma variação entre 30 segundos e 44 minutos), e o uso da camisinha não alterou isso.

10. Certa medicação para o TOC pode levar as pessoas ao orgasmo quando elas bocejam. A clomipramina também tem alguns efeitos colaterais não muito agradáveis, mas há registro de uma mulher que prefeiu continuar com a medicação apenas pelos orgasmos.

11. Você tem mais probabilidade de chegar ao orgasmo se estiver com os pés quentes. Um estudo holandês descobriu que as pessoas tinham 80% de chance de atingir o orgasmo durante um exame de ressonância magnética quando estavam de meias, comparado a 50% de chance quando não estavam. A BBC explica: “Um dos parceiros recebeu a instrução de se deitar, com a cabeça dentro de um scanner, enquanto o outro o estimulava manualmente para atingir o orgasmo. Para ajudar no clima, a iluminação da sala foi diminuída e a sala mantida completamente silenciosa.

12. As mulheres também têm sonhos molhados. Segundo um estudo de 1953 feito pelo Dr. Alfred Kinsey, 37% das mulheres têm orgasmo durante o sono até os 45 anos de idade.

13. O lubrificante natural da vagina contém uma substância chamada esqualeno, também encontrada no fígado dos tubarões.

14. A agalmatofilia é a atração sexual por estátuas ou manequins.

15. Uma vida sexual ativa pode fazê-lo sentir-se tão feliz quanto ganhar um extra de US$ 100 mil por ano

16. Até o final da adolescência, três quartos das pessoas já tiveram relações sexuais. A informação é do o Instituto Kinsey. E mais de dois terços de todos os adolescentes sexualmente experientes tiveram dois ou mais parceiros.

17. As pessoas com idades entre 18 e 29 fazem sexo 112 vezes por ano, em média. Sim, é verdade (segundo estudo de 2002 nos EUA, que são os dados disponíveis mais recentes no site do Instituto Kinsey). O mesmo estudo constatou que pessoas entre 30 e 39 anos têm cerca de 90 relações sexuais por ano e os que estão entre 40 e 49 anos, uma média de 69 vezes por ano.

18. Homens que traem as esposas têm mais probabilidades de morrer de parada cardíaca durante o sexo. A morte repentina durante o sexo não acontece com muita frequência. Mas quando acontece, envolve principalmente homens em relações sexuais fora do casamento “na maioria dos casos com uma parceira mais jovem num ambiente desconhecido e/ou após o consumo excessivo de alimentos e álcool”, segundo esta declaraçãoda American Heart Association.

logomarca do portal meionorte..com