Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Justiça suspende divulgação de pesquisa em Piripiri

Justiça suspende divulgação de pesquisa em Piripiri

O juiz Francisco João Damasceno, da 11ª Zona Eleitoral de Piripiri, concedeu liminar suspendendo imediatamente a divulgação de qualquer resultado de pesquisa de intenção de votos para prefeito realizada pelo Instituto Credibilidade em Piripiri.

A suspensão atende a representação impetrada pela coligação encabeçada pelo prefeito Luiz Menezes, candidato a reeleição, e se baseia em indícios de fraudes denunciados pelo deputado estadual Marden Menezes apontando que o Instituto Credibilidade registrou no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a realização de pesquisa tendo como contratante o Portal Piripiri 40 Graus. No entanto, o proprietário do veículo de comunicação, jornalista Paiva Filho, se disse surpreso por figurar como contratante da consulta e assinou declaração afirmando que não contratou nenhuma pesquisa de intenções de votos junto ao Instituto Credibilidade.

?Nunca contratei em hipótese alguma qualquer instituto de pesquisa, especificamente o Instituto Credibilidade, para fazer pesquisa eleitoral em Piripiri ou em qualquer outro município do Piauí?, diz, nos autos, o jornalista Paiva Filho.

O juiz baseou sua decisão em outras irregularidades encontradas contra o Instituto Credibilidade. A empresa não apresentou contrato social, estatuto social ou inscrição como empresário que comprovasse a regularidade do seu registro, bem como estiveram ausentes a razão social, Cnpj e até o endereço para receber as notificações da Justiça Eleitoral. O Instituto Credibilidade sequer informou o número do registro da empresa no Conselho Regional de Estatística (Conre).

O juiz determinou ainda o envio dos autos a Polícia Federal para análise e abertura de investigação. ?Tendo em vista possibilidade de fraude, determino, ainda, que sejam encaminhadas cópias dos presentes autos a Polícia Federal, para análise e abertura de procedimento investigatório necessário?, decidiu Francisco João Damasceno.








Tópicos
Compartilhe

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar