O especial do Bicentenário da Independência preparado pela Rede Meio Norte permanece mostrando as cidades com o mesmo nome. Valença, no Piauí, completou 260 anos neste dia 20 de setembro. 500 anos separam o município piauiense de Valença do Minho, no distrito de Viana do Castelo, em Portugal. O nome da cidade antiga batizou a novata por capricho do governador da província da época. 

João Pereira Caldas, conhecido na história pelo extermínio e escravidão dos povos indígenas da região, natural de Valença, Portugal, governou o Piauí durante dez anos, no período de 1759 a 1769, sendo o primeiro governador da capitania recém criada. 

Valença do Piauí. Crédito: Reprodução/Rede MN.Valença do Piauí. Crédito: Reprodução/Rede MN.

Foi em 19 de julho de 1971 que a freguesia foi alçada ao título de vila e se tornou Valença do Piauí, assim como os municípios de Marvão, Campo Maior e Jerumenha, que também são cidades homônimas entre o Estado e o país europeu. 

Uma cidade histórica 

Valença do Piauí é uma cidade rica em história. A estrada do Povoado Buritizal tem pinturas rupestres de valor inestimável, com até 12 mil anos. A pintura da machadinha é uma das mais famosas. Por volta de 1700, ali viviam os aruaques, que por eles vieram os jesuítas. 

Pintura rupestre da Machadinha. Crédito: Reprodução/Rede MN.Pintura rupestre da Machadinha. Crédito: Reprodução/Rede MN.

Na cidade, alguns objetos também contam a história de valença. Como o provável primeiro rótulo de uma cajuína comercializada no Piauí, dos anos 30. O historiador Antonio José Mambenga conta detalhes curiosos da cidade. A Igreja de São Benedito ainda guarda o cruzeiro e o altar do século XVIII. 

Ali foram sepultadas figuras históricas importantes. 

"O vereador Salvador da Rocha Pita pediu para ser enterrado na porta da igreja para que as pessoas pudessem pisar na cabeça dele, como forma de arrependimento ou pedido de desculpas", conta o historiador. 

Protesto contra trazer rejeitos do Césio 137 para o Piauí. Crédito: Reprodução/Rede MN.Protesto contra trazer rejeitos do Césio 137 para o Piauí. Crédito: Reprodução/Rede MN.

As mulheres de Valença organizaram o primeiro panelaço da história do Brasil. O Dr. Remédio Veloso, o único obstetra da cidade, recebeu uma proposta para morar em Campo Maior. Elas foram para a janela da casa do médico bater panelas até ele desistir da ideia. Nos anos 2000, mais um fato inusitado. O Governo Federal queria trazer o lixo atômico do acidente do Césio 137 em Goiás, ocorrido em 1987 para a cidade e a população foi às ruas. 

Uma fortaleza com uma cidade dentro 

Valença, em Portugal, é uma cidade construída dentro de uma fortaleza. A estrutura fortificada, que foi reformulada no século XVI para proteger o Reino Português do Reino da Galiza, permanece imponente ao longo dos séculos. A Porta do Sol é a entrada da cidade, que possui um centro histórico preservado. "A fortificação foi criada na defensiva, não existia a intenção de atacar", revela Isilda Salvador, turismóloga. 

Valença fica dentro de uma fortaleza. Crédito: Reprodução/MN.Valença fica dentro de uma fortaleza. Crédito: Reprodução/MN.

A cidade portuguesa, que antes se chamava Contrasta, mudou de nome para Valença em alusão à valentia do povo. Hoje a cidade tem uma população de cerca de R$5 mil habitantes. Passaram por ali lígures, os gróvios, celtas, gregos e romanos, além dos árabes. As primeiras povoações datam da Idade do Ferro, há 1.200 a.C. A cidade faz parte do Caminho do Santuário de Compostela, além de Fátima. No ponto mais alto da Fortaleza, há 50 metros do Rio Minho, que separa Portugal da Espanha. 

Valença tem centro histórico preservado. Crédito: Reprodução/Rede MN.Valença tem centro histórico preservado. Crédito: Reprodução/Rede MN.

Pela proximidade das duas nações, hoje é conhecida como uma eurocidade. 

"Entre Valença e Tui em Espanha são duas as cidades que se fundem, com gestão da vida das pessoas conjuntas. Trabalhamos na cultura, esporte e turismo de forma conjunta. Em Portugal falamos em português, mas em Tui se fala galego e espanhol", finaliza Victor Salvador, morador local.