No Dia Internacional da Mulher, a Rede Meio Norte apresenta uma reportagem especial sobre a vida de uma das mulheres mais emblemáticas da literatura mundial. 

A repórter Cinthia Lages foi até a Vila Viçosa, onde nasceu a poetisa portuguesa Florbela Espanca. Mais de 90 anos após a sua morte, ela é reconhecida como ícone feminista. No Brasil, sua obra ganhou dimensão, após o lançamento de uma canção que completa quatro décadas.

Equipe da Rede MN foi conhecer a história da poetisa Florbela Espanca - Foto: InstagramEquipe da Rede MN foi conhecer a história da poetisa Florbela Espanca - Foto: Instagram

Fanatismo, o nome da música com melodia do cantor Fagner é um poema de Florbela Espanca.

Linda, talentosa, a poetisa portuguesa foi uma mulher muito além de seu tempo. Florbela Lobo era seu nome de batismo, ela nasceu na Vila Viçosa, em Alentejo, região Centro Sul de Portugal, em 1894. O primeiro poema, Florbela escreveu aos 13 anos de idade, foi dedicado a mãe que era uma camponesa. 

Ao longo da vida, a poetisa também foi jornalista e acadêmica de direito, em uma época em que poucas mulheres conseguiam acesso ao curso na Universidade de Lisboa. 

A vida pessoal de Florbela Espanca era atribulada. Entre romances proibidos foram três casamentos. A morte trágica do irmão em um acidente aéreo desencadeou uma doença mental. Confira a reportagem especial: