Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Bruno diz que ex-policial não matou Eliza, desacredita de provas.

Bruno diz que ex-policial não matou Eliza, desacredita de provas, fala em 'combinação' e põe júri sob dúvida

  
Goleiro Bruno deixando prisão na cidade de Varginha© Getty Images Goleiro Bruno deixando prisão na cidade de Varginha

Atualmente sem clube, o goleiro Bruno, 35, fez declarações fortes e inéditas sobre a morte da modelo Eliza Samudio, caso que completará dez anos em junho próximo. Em entrevista exclusiva ao jornal "O Tempo", ele disse que o ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, não matou a garota, desacreditou das provas apresentadas no tribunal, disse que foi feito um acordo para que ele e Luiz Henrique Romão, o Macarrão, confessassem o crime para reduzir a pena e colocou o júri sob dúvida.

Bruno, durante sua apresentação no Boa Esporte, em 2017© Gazeta Press Bruno, durante sua apresentação no Boa Esporte, em 2017

"Existem várias situações nos bastidores a que vocês não tiveram acesso. Aquela fala minha no dia do júri foi tudo ensaiado. Aquele negócio que eu falei – ‘eu sabia’ [da morte] –, aquilo tudo foi ensaiado; da mesma forma, o Macarrão. Ofereceram um tanto de anos de cadeia que, ‘se você falar isso, você toma tanto, se você não falar, você vai tomar tanto’; A gente já estava havia três anos preso", disse Bruno ao jornal, em texto publicado nesta segunda-feira (2).

A afirmação do goleiro é que a promotoria negociou também a implicação de outros acusados em troca de uma pena menor. A reportagem do jornal conversou com o advogado de acusação José Arteiro, que foi destituído do caso pela mãe da modelo, Sônia de Fátima Mouro. 

Arteiro demonstrou ter conhecimento de que havia o encaminhamento de um acordo.

“Eu falei com o Macarrão que arrumava uma pena pequena para ele, porque, para um crime daquele tamanho, a pena seria de até 25 anos, mas que, para ele, eu arrumava 15 anos. Aí, essa parte [sobre o acordo] eu não posso falar porque foi um acordo com o promotor e a juíza, entendeu? Eu pedi para [a juíza]. E, finalmente, nós fomos ao julgamento, e o Macarrão foi condenado a 15 anos de prisão”, disse o advogado, que foi destituído pela mãe da modelo no quinto dia de julgamento.

O promotor do caso foi Henry Wagner Vasconcelos de Castro, enquanto a juíza Marixa Fabiane Rodrigues Lopes presidiu o júri popular.

Macarrão foi condenado a 15 anos, Bruno pegou 22 anos e três meses (atualmente cumpre prisão domiciliar) e Bola, 22 anos. Este último foi condenado pela morte da modelo e também pela ocultação do cadáver da jovem (até hoje o corpo dela não foi encontrado).

“Até que me provem o contrário, para mim, o Bola é inocente. Nesse caso, ele é. Quero avaliar a prova que liga o Bola a esse assunto. Não tem. Foi muito mais naquela época lá, que tinha que condenar, quando o Macarrão falou no júri que o ‘Bruno agora é o mandante, agora fecha. O Bola é o executor’. Tá, ele é o executor, prova isso. Prova também que eu sou o mandante”, disse Bruno na entrevista ao jornal "O Tempo".

“Não conheço ele de lugar nenhum, nunca vi o Bola na minha vida. Todos os amigos que eu tinha eu sempre registrei, sempre estiveram nas minhas fotos, uns conhecem os outros, mas o Bola não conheço. A meu ver, pelo que eu já ouvi de história, é muito mais perseguição do que ele nesse caso”, acrescentou sobre Bola.

Bruno afirmou que Macarrão foi o responsável pela morte de Eliza Samudio e que somente ele poderia esclarecer o que aconteceu.

“Acho que ele deve isso para a sociedade. Se ele foi a última pessoa a estar com a Eliza, por que ele não fala onde ela está então? Fala o que aconteceu realmente com ela. Não o que ele falou lá no júri, porque o júri é mentira”, disse Bruno.

Vale lembrar que Bruno revelou no tribunal uma conversa com Macarrão e um primo sobre a modelo. “Perguntei pra eles ‘poxa, cadê a Eliza? Pelo amor de Deus, o que vocês fizeram com ela?’. Macarrão falou: 'Eu resolvi o problema. O tal problema que tanto te atormentava'”, disse o goleiro no julgamento, em 8 de março de 2013.

“Falei com ele ‘Macarrão, pelo amor de Deus, cara, o que você fez? Por que você fez isso? Não tinha necessidade, não, cara'”, disse Bruno no mesmo dia.

Dez anos de um mistério

Foi em junho de 2010 que a modelo Eliza Samudio foi convidada para passar o fim de semana no sítio de Bruno, na cidade de Esmeraldas, interior de Minas Gerais, e desapareceu. Até aquele momento, ela já havia procurado a Justiça em outubro de 2009 dizendo ter sido agredida pelo goleiro e coagida a fazer um aborto.

Eliza dizia estar grávida do então goleiro do Flamengo. O menino nasceu em fevereiro de 2010 e desde a morte dela está sob a guarda da mãe da modelo.

A investigação sobre o caso apontou que a Eliza Samudio foi levada de Esmeraldas para Vespasiano, outra cidade mineira, onde foi estrangulada. Ação teria envolvido Macarrão e Bola. Depois de morta, o ex-policial teria sido o responsável por ocultar o corpo, jamais achado.

Desde julho de 2019, Bruno passou a cumprir regime semiaberto domiciliar após ter cumprido o tempo necessário para progressão da pena, conforme a Lei de Execuções Penais (LEP). Em agosto, chegou a assinar com o Poços de Caldas para jogar a terceira divisão do Campeonato Mineiro. 

Não chegou a ficar muito tempo. Rescindiu em outubro do ano passado, com dois meses de salários atrasados e apenas 45 minutos jogados.

Antes, em 2014, quando ainda estava preso, o goleiro chegou a assinar com Montes Claros, mas a CBF não legitimou o acordo que seria válido até 2019. Já em 2017, ao conseguir um habeas corpus, assinou com o Boa Esporte. Chegou a fazer cinco jogos até o Superior Tribunal Federal revogar sua soltura.


Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar