Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Juíza compara cadeia no Maranhão a canil

Juíza compara cadeia no Maranhão a canil

Juíza compara cadeia no Maranhão a canil
Juíza compara cadeia no Maranhão a canil | arquivo internet

"Não existe outra definição a não ser canil. Seres humanos são tratados como cães ali. A cela é tão escura que nem possibilita ver quem está dentro. Há muita sujeira."

A descrição é da juíza Samira Barros Heluy, responsável por determinar, no dia 10, a interdição das quatro celas que formam a carceragem da delegacia de Miranda do Norte (a 140 km de São Luís).

A magistrada relata que as celas são totalmente escuras, com calor excessivo. Segundo ela, havia lixo acumulado e forte odor de fezes e urina, que atraía muitos urubus.



Os presos passavam o dia sentados ou deitados diretamente no chão, já que não existem colchões ou redes.

Havia quatro presos no momento da vistoria. De acordo com a juíza, não havia água potável para eles. A água usada para beber e para higiene pessoal era armazenada em um caixa destampada.

"A água é muito escura. Não é possível que um ser humano beba aquilo", disse a magistrada à Folha. "É um local totalmente escuro, insalubre e sem condições de manter seres humanos."

A juíza comunicou a interdição ao governo do Maranhão e ao CNJ (Conselho Nacional de Justiça).


Tópicos
Compartilhe

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar