Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

"Uma grande cruz dos tempos de hoje", diz Dom Francisco sobre pandemia

"Uma grande cruz dos tempos de hoje", diz Dom Francisco sobre pandemia
Dom Francisco de Assis | Ryan Andrade

A celebração da Paixão de Cristo na catedral de Santo Antonio, presidida pelo bispo diocesano de Campo Maior Dom Francisco de Assis, aconteceu a portas fechadas em razão da pandemia de coronavírus. A sexta-feira da Paixão marca a morte de Jesus após ter sido flagelado e crucificado no Calvário. As redes sociais da paróquia de Santo Antonio e a rádio FM Meio Norte de Campo Maior fizeram uma transmissão simultânea ao vivo da celebração.

Sobre o significado da sexta-feira santa para os cristão, Dom Francisco disse que o amor de Deus triunfou sobre a morte e o pecado na cruz: "Este é o dia do mistério do amor, o dia do sacramento do amor, dado a partir da cruz, sacramento de salvação. A sexta-feira santa nos faz ver até onde vai o amor de Deus. Se o pecado tem tanta força a ponto de levar a morte, o amor de Deus é quem vence a ponto de o próprio Deus nos ter nos dado o seu filho", disse.

Dom Francisco também criticiou as exigências que o mercado impõe aos trabalhadores fazendo deles máquinas para atingir um único objetivo, o lucro: "Quantos sinais da morte, do nosso pecado, quanto sofrimento, nós os filhos de Deus impomos aos nossos irmãos e irmãs? Nós estamos vivendo uma crise mundial como nunca vista em nossa geração: a pandemia por conta de um novo vírus, e muitas vozes ainda dizem que precisamos salvar o mercado, abrir o comércio, salvar os empregos. Tudo isso a custa de quê? Do capitalismo selvagem que quer que homens sejam máquinas de produção", destacou.

Dom Francisco também classificou a pandemia de coronavírus como uma grande cruz dos tempos de hoje, a qual somos convidados a carregá-la, com a certeza de que sairemos da crise muito melhores: "A sexta-feira santa de 2020 traz sérios questionamentos. Não interessa perguntar de onde veio o vírus, importam as consequências. Eu creio que depois desta crise mundial, sanitária e de saude pública, é preciso que nós homens saiamos muito melhores. É a mesma preocupação do papa Francisco que diz ser preciso nos refazer e perguntar a igreja como recomeçar. Se depois da tempestade vem a bonança, o que podemos esperar? Depois da angústia, do sofrimento, da morte, daz cruzes do tempo de hoje", questionou.

O bispo encerrou a sua mensagem afirmando que não há graça que não passe pela cruz e que o sofrimento gerado por ela é necessário para a transformação da humanidade: "O trono da graça na sexta-feira santa é a cruz. Nos aproximemos com confiança do trono para conseguirmos misericórdia e alcançarmos auxílio no momento oportuno. Não existe caminho de santidade, de vida plena, que não passe pela cruz. A nossa força está na cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo. A nossa missão só tem sentido a partir da cruz de Cristo". finalizou.

Texto e fotos: Ryan Andrade


Tópicos
Compartilhe

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar