Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Deputado paraibano critica Enem por citar iorubá em questão

Deputado chamou de "Fundamentalistas Religiosos" as citações feitas nas questões...

Depois que o deputado estadual Anísio Maia (PT) ocupou a tribuna hoje de manhã para enaltecer o Ministério da Educação e Cultura pela realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), criticando o que chamou de “fundamentalistas religiosos” contrários a alguns conceitos citados nas provas, acabou provocando seu colega de parlamento, Jutay Menezes, a assumir sua discordância com o MEC e também com o teor dos testes aplicados no fim de semana.

Anísio declarou que os críticos do Enem “não têm coragem de dizer claramente, mas defendem a submissão da mulher porque são fundamentalistas religiosos” e acrescentou seus parabéns ao Ministério. “Eu quero dar os parabéns ao Enem pela abordagem, pela prova de alto nível e pela defesa aos direitos femininos. A cultura universal vai chegar ao Brasil com muito mais força. Não seremos quintal do obscurantismo. Vamos respeitar os direitos fundamentais de homens e mulheres. Parabéns ao Ministério da Educação!!”, disse o petista.

Na sequência, Jutay confessou que não pretendia discursar, mas reconheceu ter sido provocado pelo teor do pronunciamento do petista, ressaltando que não aceita a pecha de “fundamentalista religioso”. “Ele acha que gritando e esbravejando na tribuna, vai convencer as pessoas de seus ideais”, protestou. Mas, o que mais chamou a atenção no que disse Jutay foi a crítica dele ao Enem: “Não posso aceitar que o Enem e o MEC sejam os senhores da verdade. Fundamentalistas são os que fazem as provas do Enem. O que tem a ver a prova do Enem com a música do candomblé? Eu respeito, mas não tem nada a ver. Nunca se viu no Enem a música evangélica e nem católica. Pregamos o estado laico, mas na Assembleia logo se vê o crucifixo. Na Câmara, o presidente não tem coragem de tirar a imagem da padroeira da cidade. Eu tenho o direito de dizer o que eu penso”.

A questão apontada por Jutay foi Yaô, uma composição de Pixinguinha e Gastão Viana da década de 30. Para esclarecer o que ela tem a ver com o Enem, o professor Eduardo Calbucci, supervisor de português e redação do Anglo, explicou que o Enem gosta de trabalhar com gêneros variados e um deles é a canção popular brasileira.  “Ao fazer uso do iorubá na composição do autor, o aluno deve tentar entender por que isso foi citado. Se pensarmos na origem do samba e do choro, está muito ligada à cultura negra e aos morros do Rio de Janeiro. É um tom de homenagem. As palavras foram incorporadas em tom de homenagem. A resposta que a banca esperava é a letra B”, comentou, numa alusão à alternativa que citava a marca da cultura africana na música brasileira.



Leia a matéria completa em: Deputado paraibano critica Enem por citar iorubá em questão - Geledés http://www.geledes.org.br/deputado-paraibano-critica-enem-por-citar-ioruba-em-questao/#ixzz3q4avK0vk 

Follow us: @geledes on Twitter | geledes on Facebook


Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Localização

Definir a localização padrão

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Fique por dentro

Receba notícias quentinhas diretamente no seu whatsapp

Continuar

Falta pouco, agora escolha as categorias que deseja receber notícias

Aperte (ctrl + clique) para selecionar vários
Pronto!

Agora você passará a receber novidades diretamente no seu whatsapp.

Termos de uso

Texto

Política de privacidade

Texto

×