Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Analfabetismo no Piauí caiu de 51,23% para 75,91% do Estado e abastecimento de água dobrou

Analfabetismo no Piauí caiu de 51,23% para 75,91% do Estado e abastecimento de água dobrou

Piauí, Maranhão e Pará têm as menores taxas de urbanização do Brasil e analfabetismo caiu de 51,23% para 75,91% do Estado e abastecimento de água dobrou

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou o resultado do Censo Demográfico 2010 apontando que o Piauí e o Maranhão são os Estados do Brasil com maiores percentuais de habitantes sem acesso à energia elétrica e com falta de água e saneamento em suas casas.

O supervisor de Informações do IBGE no Piauí, Pedro Soares, afirmou que as informações preliminares do Censo 2010 garantem que o Piauí tem uma população de 3.118.360 habitantes, sendo 65,8 65,8% do total moram na zona urbana..

A população de Teresina ficou em 814.230 habitantes, sendo que 767.557 pessoas moram na zona urbana, 94,3% do total. Na capital, os homens são 40,6% do total (380.612) e mulheres 433.618 (53,3%).

As mulheres são a maioria dos habitantes do Estado, somando 1.589.939, correspondente a 51% do total. Os homens são 1.528.422, 49,% do total.

O acréscimo de quase 23 milhões de habitantes urbanos resultou no aumento do grau de urbanização, que passou de 81,2% em 2000, para 84,4% em 2010. Esse incremento foi causado pelo próprio crescimento vegetativo nas áreas urbanas, além das migrações com destino urbano.

Os critérios adotados para subdividir o espaço territorial brasileiro em áreas urbanas e rurais são baseados nas legislações de cada município brasileiro. As áreas urbanas são áreas internas ao perímetro urbano de uma cidade ou vila, sendo este perímetro definido por lei municipal. As áreas rurais são as áreas externas aos perímetros urbanos, que também são definidas pela lei municipal.

Dentro de um perímetro urbano definido em lei municipal, podem existir áreas urbanizadas, áreas não urbanizadas e até mesmo áreas urbanas isoladas. Estas últimas são caracterizadas por serem separadas da sede municipal, ou distrital, por uma área rural ou por outro limite legal. Da mesma forma, as áreas rurais podem ser classificadas como aglomerados rurais de extensão urbana, povoados, núcleos ou outros aglomerados, todos eles também definidos por legislação municipal.

A região Sudeste continua sendo a mais urbanizada do Brasil, apresentando um grau de urbanização de 92,9%, seguida pelas regiões Centro-Oeste (88,8%) e Sul (84,9%), enquanto as regiões Norte (73,5%) e Nordeste (73,1%) têm mais de 1/4 dos seus habitantes vivendo em áreas rurais. Rio de Janeiro (96,7%), Distrito Federal (96,6%) e São Paulo (95,9%) são as Unidades da Federação com maiores graus de urbanização. Os estados que possuem os menores percentuais de população vivendo em áreas urbanas estão concentrados nas regiões Norte e Nordeste, sendo que Maranhão (63,1%), Piauí (65,8%) e Pará (68,5%) apresentam os índices abaixo de 70%.

No Piauí, a proporção de envelhecimento passou de 6,63%, em 1991, para 10,48% em 2010. A população mais jovem de até 24 anos, em todos os grupos etários tiveram redução.

A população alfabetizada aumentou no Piauí. Em 1991, a população alfabetizada era de 1.147.932 habitantes, que correspondia da 51,23% da população de cinco anos ou mais de idade. Em 2010, esse número passou para 2.201.208 habitantes, que correspondem a 75,91%.

Em relação ao abastecimento de água, no Piauí são 612.601 domicílios com esse tipo de serviço, que corresponde a 72,22% do total de domicílios, quando a taxa do Nordeste é de 76,61% e a nacional é de 82,85%.

Em 1991, a cobertura desse serviço era de apenas 33,29%.

No Estado, os domicílios com banheiros ou sanitários eram 679.255, que correspondem a 80,08% do total, porém apenas 246.558, correspondentes a 32,29% estavam ligados a uma rede geral coletora de esgoto ou fossa séptica, que é o sistema de esgotamento adequado.

?Neste olhar, o Piauí , no que diz respeito aos sanitários ligados à rede geral, o Piauí tem apenas 7% dos domicílios, sendo a pior situação do Nordeste, seguido apenas pelo Maranhão, com 11,7%., quando nos demais estados a situação é bem melhor?, falou Pedro Soares.

A coleta direta de lixo só existia em 463.132 domicílios, que corresponde a 54,55% dos domicílios, quando a média do Nordeste é de 63,91% e a do Brasil é de 80,23%.

O IBGE constatou que 77,65% dos domicílios do Piauí têm renda per capita domiciliar do Piauí é de até

um salário mínimo, mas 5% não têm qualquer rendimento. No Nordeste , o grupo com renda até um salário mínimo corresponde a 74,6% e no Brasil é de 69%.

?A nossa renda per capita é quase dez pontos percentuais a mais do que média nacional?, acrescentou Pedro Soares.

Com relação ao fornecimento de energia elétrica, no Piauí são 784.509 domicílios com energia elétrica, que corresponde a 92, 48% deste total, mas 5% dos domicílios não têm medidores de energia, o que se pode caracterizar uso de energia irregular (?gato?).


Tópicos
Compartilhe

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar