Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Anvisa aprova comercialização de máscaras 3D de startup piauiense

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Avisa) aprovou a produção e comercialização de máscaras para profiissionais de saúde feitas em impressoras 3D, que custam uma média de R$ 3 mil no mercado. O material foi criado pela startup de Parnaíba (345 km de Teresina), Tron Ensino de Robótica Educativa.

De acordo com o profesor da Universidade Federal Delta do Parnaíba e presidente da startup, Gildário Dias Lima, a Tron Ensino de Robótica Educativa desenvolveu um ventilador mecânico que custa R$ 6 mil, enquanto os que existem no mercado custam R$ 50 mil.

Divulgação

Apoio à pesquisa de respiradores de baixo custo

O governador Wellington Dias participou, neste sábado (25), de videoconferência com o diretor da startup Tron Ensino de Robótica Educativa, Gildario Lima. Na oportunidade, foi apresentado mais detalhadamente o Air Tron, um respirador de baixo custo que foi desenvolvido por piauienses e que chegou à fase de aprovação. Participaram também da videoconferência, o prefeito de Teresina, Firmino Filho; e o presidente da Associação Piauiense de Municípios (APPM), Jonas Moura.

De acordo com Gildário Lima, o protótipo foi desenvolvido com supervisão de médicos, fisioterapeutas, infectologistas e engenheiros elétricos. “A ventilação assistida trabalha de maneira fácil e, tendo em vista a carência de pessoas especializadas na área, é possível utilizar a telemedicina. A distância, o profissional pode acompanhar, e isso ainda é possível ajudar a prever erros, sendo que qualquer manuseio incorreto será informado à uma central de monitoramento”, explicou o pesquisador.

Estima-se que uma das principais diferenças entre o Air Tron e os demais respiradores disponíveis no mercado seja o preço. Enquanto um respirador industrial custa em média R$ 50 mil, esse custará em média R$ 6 mil, podendo haver ainda alguma alteração no preço.

Divulgação

Na segunda- feira (27), haverá novos testes com maior robustez dos cinco protótipos já desenvolvidos e então o produto deve ser enviado para chancela da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O governador Wellington Dias, além de parabenizar a criatividade, responsabilidade e a sensibilidade da equipe que se debruçou para desenvolvimento do aparelho, disse que vai apoiar com equipe de técnicos todo o processo de avaliação da Anvisa e que espera que os aparelhos possam estar em uso o mais breve possível.

“Estamos em uma “situação de guerra” e temos a ciência como uma grande aliada. O que esses piauienses fizeram vai poder salvar milhares de vidas e com um preço muito acessível. Nesse momento de crise, estamos sendo extorquidos pelo mercado. Com o preço do dólar nas alturas e sendo a maioria dos produtos importados, sem contar que ainda há uma burocracia muito grande para a chegada desses produtos. Sendo fabricado aqui no Piauí, facilita, inclusive, a manutenção. Com a grande demanda no mercado, as empresas existentes já estão falhando com os prazos”, enfatizou Wellington.

Divulgação

Na oportunidade, o presidente da APPM disse que, com este valor, os próprios municípios também podem realizar a compra de aparelhos para ajudar no enfrentamento do coronavírus e também a aparelhar a saúde para as demais doenças.



Tópicos
Compartilhe

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar