Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Cartórios têm livros de registro destruídos e jogados em sacos de lixo

Cartórios têm livros de registro destruídos e jogados em sacos de lixo

Corregedoria encontra cartórios com livros de registro destruídos e jogados em sacos de lixo, destruídos por cupins permitindo grilagem

O corregedor geral de Justiça do Piauí, desembargador Antônio Francisco Paes Landim Filho, vai divulgar, em entrevista coletiva a ser concedida, às 12h de terça-feira, o relatório de inspeção nos Cartórios de todo o Estado. Paes Landim Filho vai apresentar fotografias e relatório mostrando livros de registro de imóveis e de registro civil destruídos, jogados dentro de sacos de lixo pretos com capacidade de 100 litros, jogados em banheiros, no chão dos cartórios, jogados em locais abertos e expostos ao sol, ao resfriamento e à natureza.

O corregedor geral Antônio Francisco Paes Landim vai mostrar que sem a memória dos registros civis e de imóveis, os cartór ios permitem fraudes e a grilagem como ocorrer no sul do Piauí.

Foram encontrados livros de registro de imóveis destruídos por cupins.

A inspeção feita por juízes e técnicos da Corregedoria Geral de Justiça do Piauí abrangeu 150 cartórios em todas as 94 Comarcas da Justiça.

A inspeção mostra que~o concurso público ainda n/ão é utilizado para a escolha dos titulares dos cartórios e impera a desorganização desde os maiores e mais estruturados até os mais simples de cidades do Piauí.

Também foi constatada a não obediência do registro civil gratuito em cartórios do Piauí.

O relatório que será apresentado nesta terça-feira tem 2,700 fotografias, sendo que 800 serão disponibilizadas para os veículos de comunicação.

Vai ser denunciado que os cartórios do Piauí não preservam a memória dos registros que fazem e também não respeitam sequer a lei de 1973, determinando que nenhum registro de imóvel ou cível poderia ser feito de forma manuscrita, obrigando o uso do registro mecânico, em referência às máquinas de datilografia.

Hoje, após a revolução digital, os cartórios continuam fazendo os registros civil e imóveis em livros de forma manuscrita.


Tópicos
Compartilhe

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar