Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Comandante do Corpo de Bombeiros demite do cargo de assessor do Comando acusado de obrigar a três estudantes banharem em sua frente e abre processo ad

Comandante do Corpo de Bombeiros demite do cargo de assessor do Comando acusado de obrigar a três estudantes banharem em sua frente e abre processo ad

Comandante do Corpo de Bombeiros demite do cargo de assessor do Comando acusado de obrigar a três estudantes banharem em sua frente e abre processo administrativo para apurar denúncia de assédio sexual

O comandante do Corpo de Bombeiros do Piauí, coronel Manoel Bezerra dos Santos, exonerou ontem do cargo de assessor especial do Comando da Corporação o tenente acusado de assédio sexual contra três aspirantes a bombeiro que teriam sido trancadas no banheiro e obrigadas a banhar em sua frente.

O anúncio foi comunicado ontem pelo coordenador de Comunicação Social do Governo do Estado, jornalista Fenelon Rocha.

Ele afirmou que o coronel Manoel Bezerra dos Santos assegurou que as três estudantes não prestaram queixa formal contra o assédio, mas o comandante apurou que houve caso de desvio de conduta do oficial e o afastou do cargo de assessor do comando do Corpo de Bombeiros e determinou a abertura de processo administrativo para apurar a denúncia.

Fenelon Rocha declarou que como as três mulheres não apresentaram denúncia formal do suposto assédio, mas pelas informações que obteve tomou a decisão de afastar o oficial do cargo de assessor e abrir o processo administrativo para apurar as denúncias.

Os bombeiros que trabalharam na quinta-feira asseguram que o caso chegou a ser registrado pelo oficial de dia e houve quase um consenso se que as três mulheres não denunciassem o assédio em uma Delegacia de Polícia Civil por causa da repercussão negativa para a corporação.

Como temiam que o caso não resultasse em apuração e possível punição do oficial, alguns bombeiros resolveram tornar o assédio público.

A Polícia Militar chegou a apurar denúncias de oficiais aspirantes a tenente de assédio por seus instrutores. Houve até condenações na Justiça, mas os instrutores não chegaram a ser efetivamente punidos porque conseguiram anulação das sentenças.


Tópicos
Compartilhe

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar