Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Caso Fernanda: Jivago Castro não está sendo investigado

Caso Fernanda: Jivago Castro não está sendo investigado

Delegado presidente do inquérito que apura morte de Fernanda Lages diz que Jivago Castro não é suspeito e não tem nada contra ele

Efrém Ribeiro

Da Editoria Geral

O delegado Paulo Nogueira, da Cico (Comissão Investigadora do Crime Organizado), disse que o engenheiro Jivago Castro não está sendo investigado como suspeito e não tem nenhuma qualquer relação com a morte da estudante de Direito Fernanda Lages, encontrada morta no prédio da Procuradoria da República no Piauí.

Ele afirmou que Jivago Castro foi citado pela sobrinha do ex-deputado estadual José Ribamar Cabelouro como a possível pessoa que Fernanda teria se referido como "seu gatinho".

A moça teria dito que Jivago tinha um caso com a universitária.

Paulo Nogueira falou que posteriormente apareceu um funcionário de um motel pouco conhecido dizendo que teria visto Fernanda e Jivago entrando em uma motocicleta no estabelecimento.

Paulo Nogueira acredita que a história seja mentira e que o funcionário do motel na hora de identificar Jivago Castro e Fernanda apontou para outras pessoas.

Paulo Nogueira declarou que o presidente da construtora Vanguarda, Jivago Castro, foi ouvido pela Cico porque foi engenheiro responsável pela obra de construção do prédio do TRT (Tribunal Regional do Trabalho) , por onde Fernanda Lages passou, e os vigilantes foram contratados por sua empresa.

Nogueira disse que a Cico ouviu os vigilantes, quem os contratou com a intenção de saber a vida pregressa e a ligação dos vigilantes com a construtora Vanguarda até chegar em seus dois proprietários. Falou que ouviu os dois proprietários da Vanguarda.

Paulo Nogueira disse que Jivago Castro esteve na Cico nessa condição de proprietário da construtora Vanguarda. Declarou que, de concreto, não existe absolutamente nada contra Jivago Castro relacionado com o fato da morte de Fernanda Lages.

?Não tem nada contra Jivago Castro. Jivago Castro não é suspeito da polícia. O que há é em cima do que foi gerado. Ele foi convidado, compareceu, colocou o que sabia do fato em si, mas permanece, para todos os efeitos, sem ser investigado e não sendo um suspeito da Polícia Civil, pelo que nós apuramos. Isso não quer que não tenha vindo até nós informações falando que Jivago conhecia Fernanda Lages e isso está sendo objeto de investigação, até para preservar essas pessoas no futuro, e lá adiante se anuncie o resultado não gfere dúvidas, não paire questionamento de que a polícia recebeu alguma informação e não apurou. Investigamos todos que fora, falados, sej a pela imprensa, por jornalistas, sejam de informes que chegaram para nós e os jornalistas não tomaram conhecimento. Os casos foram e têm sido objeto de investigação e permanecerão sendo até que a gente conclua. Há algo de concreto? O que há é o que já foi passado?, declarou Paulo Nogueira.

Ele disse que em relação à sobrinha de José Ribamar Cabelouro, que disse ter sido apresentada por Fernanda Lages a Jivago Castro, a jovem esteve na Cico pela primeira vez e ninguém tomou conhecimento, mas a visita só se tornou pública já na segunda vez que foi à Comissão Investigadora do Crime Organizado.

?Do primeiro depoimento para o segundo eu, pelo menos do que presenciei, quase não houve diferença. Talvez uma palavra, um termo, diferente, mas basicamente a versão é a mesma, não muda nada daquilo que foi dito no primeiro depoimento. Nem ela, nem a outra sobrinha do Cabelouro. A versão é a mesma, talvez o contexto de uma palavra de forma diferente. O que há de concreto? É que ela diz que num determinado dia de julho, Fernanda Lages ao acordar comentou: hoje, eu vou sair com meu engenheiro". Elas brincaram entre si. "Você está falando: o meu engenheiro?". "Minha filha, disse Fernanda, eu estou podendo. O que contra Jivago, de concreto? Essa informação. À tarde, Fernanda retorna do trabalho, se arruma, se produz e, ao sair, fiz :"fulana, vem que eu vou te apresentar ao meu gatinho". "Eu não vou porque estou desarrumada", disse a amiga, mas Fernanda Lages convence a descer. A menina não chega a transpor a grade, que tem do prédio para a rua. Ao descer, Fernanda disse o nome do homem, que a a jovem não se lembra,e falou: "Fulano, esta daqui é fulana, prima de fulano e minha irmãzinha falsa". Aí a pessoa puxou o carro para trás npo sentido de chegar mais perto dela, deu um sorriso e acenou.

Apesar desse sorriso, segundo Paulo Nogueira, a garota afirmou para a Cico que a pessoa não gostou de ter sido apresentada pela Fernanda. Depois da morte, Nogueira lembra que começaram a falar em engenheiro 1,. em engenheiro 2, em em um determinado dia , a mãe da garota chegou em casa com o Jornal Meio Norte e a filha apontou para a fotografia de Jivago Castro:?é ele?. A mã e perguntou se ela tinha certeza, lembrou que ela é míope e estava sem óculos.

?Eu achei parecido, o braço é gordo e o cabelo é parecido?, argumentou a garota, informou Paulo Nogueira.

?O que tem de concreto contra Jivago é isso. O que tem mais de concreto contra Jivago? Chegou na quinta-feira passada mais uma informação, mas de tão inverossímil, de tão absurda, não ia levar em conta, porém o rapaz tinha sido levada para a Cico e decidiu pegar o depoimento. A pessoa foi um jovem que foi registrar um boletim de ocorrência e, enquanto foi registrar um boletim de ocorrência, um policial perguntou se ele conhecia esse rapaz (Jivago Castro). Desde o início achei a história inverossímil. Nos colocamos oito fotografias para ele reconhecer, duas com Jivago, sendo uma com Jivago e a namorada, uma com Jivago sozinho, um,a com Fernanda sozinha e uma com Fernanda com colegas e dois rapazes. Na hora de apontar, ele apontou Jivago e Fernanda como pessoas diferentes?, declarou Paulo Nogueira.

Em seu depoimento, o rapaz, que trabalha em um motel de periferia, contou que há três meses ficou na recepção, por volta das 11h para 12h, chegou um casal em uma motocicleta Bros de cor vermelha sem placas e o da frente estava com capacete San Marinho sem viseira.

?Ele disse que apesar do homem com capacete, quando viu na TV disse que era Jivago. O que tem isso é esse segundo depoimento?, falou Paulo Nogueira.








Tópicos
Compartilhe

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar