Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Desembargador do TRT Manoel Edilson Cardoso recebe título de cidadão piauiense e diz que Judiciário deve colocar cidadão em primeiro lugar

Desembargador do TRT Manoel Edilson Cardoso recebe título de cidadão piauiense e diz que Judiciário deve colocar cidadão em primeiro lugar

Desembargador do TRT Manoel Edilson Cardoso recebe título de cidadão piauiense e diz que Judiciário deve colocar cidadão em primeiro lugar

O desembargador Manoel Edilson Cardoso, ex-presidente do TRT (Tribunal Regional do Trabalho) da 22ª Região do Piauí, recebeu na manhã de terça-feira o título de Cidadão Piauiense, concedido pela Assembleia Legislativa, que aprovou o título proposto pelo deputado estadual Fábio Novo (PT).

A entrega do título foi prestigiada por magistrados, amigos e familiares. Ele lembrou que nasceu na cidade de Independência (CE) e já foi território piauiense.

"Recebo esse título como muita honra e responsabilidade por que eu me considero piauiense de fato e agora estou transformado em cidadão por direito", declarou Edilson Cardoso, acompanhado de sua mulher, Maria Ivanilde Loiola Cardoso.

Ele ressaltou, em entrevista ao Jornal Meio Norte, que o Poder Judiciário deve colocar o cidadão em primeiro lugar.

O presidente do TRT do Piauí, desembargador Wellington Jim Boavista, também prestigiou o homenageado.

Uma comissão formada pelos deputados Kleber Eulálio, Juliana Moraes Souza e Margarete Coelho conduziram Manoel Edilson ao plenário da Assembleia Legislativa.

Para o desembargador Manoel Edilson Cardoso, o título de cidadania é, principalmente, uma homenagem à Justiça do Trabalho, e redobra sua responsabilidade em bem servir a sociedade piauiense.

"É com muito orgulho que recebo esse título de cidadania proposto pelo amigo Fábio Novo. Aqui no Piauí criei meus dois filhos e estabeleci, com minha esposa, fortes laços de amizade e de trabalho. Para mim, é uma honra ser, oficialmente, filho do Piauí, já que, de fato, já sou piauiense há muito tempo", afirmou.

O deputado estadual Fábio Novo disse que a carreira jurídica do homenageado e agradeceu aos demais deputados que aprovaram a concessão do título. "É uma homenagem justa, pois há 19 anos o desembargador Manoel Edilson empresta seu saber jurídico em favor do Piauí. É um caso de amor ao Piauí", afirmou Fábio Novo.

O deputado Fábio Novo lembrou que, graças à atuação de todos os integrantes da Corte, "o TRT do nosso Estado é um dos mais eficientes do país".

O desembargador Manoel Edilson Cardoso é natural de Independência, no Ceará, mas atua como Juiz do Trabalho no Piauí desde 1992, tendo passado pelas Varas do Trabalho de São Raimundo Nonato e Parnaíba (na época, chamadas de Junta de Conciliação e Julgamento), e pela 1ª Vara do Trabalho de Teresina. No dia 7 de junho de 2002, Manoel Edilson Cardoso foi empossado como desembargador do TRT/PI, tendo sido presidente do Tribunal no biênio 2009-2010.

A mesa de honra foi composta pelas seguintes autoridades: presidente do TRT Wellington Jim Boavista; presidente da Assembleia Legislativa. Themístocles Sampaio Filho; deputado Fábio Novo; deputado Antônio Félix; presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Sigifroi Moreno Filho; secretário estadual de Assistência Social e Cidadania, Francisco Guedes; Maria Ivanilde Loiola Cardoso, mulher do homenageado; João Madison Nogueira, ouvidor geral do Estado; e as juízas do Trabalho, Basiliça Alves e Benedita Guerra (presidente da Associação dos Magistrados do Trabalho do Piauí).

Meio Norte- Como o senhor recebe o título de cidadão do piauiense concedido pela Assembleia Legislativa?

Edilson Cardoso ? Com muita honra e responsabilidade. Eu já me acho piauiense de fato e agora me transformaram em direito. É um título que me honra muito porque a Assembleia me homenageia com essa distinção. A responsabilidade é porque a cada dia vou tentar corresponder à ideia de cidadania que o piauiense tem, que é o de bem servir, de honradez e de lealdade para com todos os que fazem o nosso meio.

Meio Norte ? O senhor vive no Piauí há quantos anos?

Edilson Cardoso ? Há 19 anos, chegando aos 20 anos. Cheguei aqui em 2002, aqui criei os meus filhos, é aqui que eu vivo, gosto muito do Piauí.

Meio Norte ? Como o senhor define o Piauí?

Edilson Cardoso ? O Piauí como terra do Nordeste eu defino como terra de gente de luta e que é muito acolhedora. Às vezes esse acolhimento se traduz como subserviência, isso em nosso Nordeste, não estou falando só do Piauí, mas na realidade é uma tradição nossa acolher todos. Eu fui acolhido como irmão, aqui eu fui acolhido como uma pessoa que veio trabalhar no meio que poderia ser distante, que é o Judiciário, mas foi aqui que eu fiz meu grande círculo de amizade, foi aqui que meus filhos fizeram a vida com grande amigos e minha mulher fez a vida, também com grandes amigos e amigas. Temos todo um círculo de relacionamento em virtude dessa tradição de acolhimento que o povo tem.

Meio Norte ? Qual a ajuda que a Justiça está dando e pode dar para melhor a realidade de um Estado pobre como o Piauí?

Edilson Cardoso ? Eu tenho uma posição sobre a Justiça, o Poder Judiciário. Eu acho que o Poder Judiciário tem que se irmanar mais porque é um poder pago com recursos públicos, como todo o poder e ente público, o servidor público do Judiciário deve ser um servidor cada vez mais cônscio de sua responsabilidade de que tem de prestar um atendimento para colocar o cidadão em primeiro lugar. A contribuição que eu acho que o Poder Judiciário pode dar é abrir as instituições para essa transparência, para essa mentalidade de que temos de servir cada vez mais e melhor o cidadão, que é quem paga o salário de todo o servidor.

Meio Norte ? Como o senhor ocupou a presidência do TRT da 22ª Região, qual foi sua contribuição pela qual está sendo homenageado?

Edilson Cardoso ? No meu discurso de posse eu fui bem claro quando disse que nos meus dois anos de gestão, a Justiça do Trabalho iria ser uma Justiça aberta, cada servidor, cada magistrado iria tratar o cidadão como se fosse um cliente de empresa privada do mais importante. Eu acho que isso foi cumprido, a nossa Ouvidoria funcionou e funciona até hoje muito bem. Nós tivemos um entendimento com a população jurídica em relação aos precatórios, quando fizemos acordo com a quase totalidade dos entes públicos e Prefeituras do Piauí, nós fizemos uma pauta de audiências dupla, quando um juiz estava fazendo audiência e essa audiência atrasava, um outro juiz entrava para atender o horário. Nós executamos o Programa Pauta Zero, no qual um processo entrando em um dia, três meses depois teria que ser julgado no primeiro grau e, três meses depois, no segundo grau. Isso foi mundo importante para a proximidade com a população.

Meio Norte ? Em linhas gerais, o que o senhor destaca em seu discurso na solenidade da entrega do título de cidadania piauiense?

Edilson Cardoso - Que eu sou piauiense de fato e agora sou de direito.

Fotos da solenidade de entrega do título de Cidadão Piauiense


















Tópicos
Compartilhe

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar