Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Jornalista Egídio Brito é sepultado com a presença da família e amigos

Atualizada às 18h06

Jornalista Egídio Brito é sepultado com a presença de amigos jornalistas, família e admiradores 

O jornalista Egídio Brito, da Rede Meio Norte, foi sepultado no Cemitério de Santa Cruz no fim da tarde deste sábado (05),  no conjunto Promorar, na zona Sul de Teresina, após realização de missa de corpo presente na funerária Pax União, na zona Sul da capital piauiense.

Acompanharam o sepultamento de Egídio Brito seus pais, Francisco Brito Oliveira e Teresa Cristina, jornalistas, vizinhos, amigos e admiradores. Acompanhou o sepultamento o cinegrafista que sempre acompanhava Egídio Brito nas reportagens na Rede Meio Norte, Avelino Pedro de Oliveira Neto, Netinho.

Netinho afirmou que Egídio Brito ia ser padrinho de seu casamento com Lucinéia Batista,  no dia 8 de novembro.

Antes do caixão ser levado para a sepultura , amigos e parentes de Egídio Filho rezaram a Ave-Maria, o Pai-Nosso e cantaram a Oração de São Francisco sob forte emoção.

Veja:



Netinho e Lucinéia eram casados há 18 anos e estavam separados há quatro anos e durante o trabalho o cinegrafista confessou que era apaixonado pela ex-mulher e Egídio Brito serviu como cupido do reencontro e estava organizando o casamento.

Dois policiais militares foram ao Cemitério de Santa Cruz para garantir a segurança no local.

A mãe de Egídio Brito, Teresa Cristina Oliveira, pediu que fosse cantada cânticos de louvor, como "Como Zaqueu". Quando o caixão já estava na sepultura, o pai de Egídio Brito, Francisco Brito Oliveira, agradeceu a todos que acompanham o filho em vida e estavam no momento do sepultamento apoiando a família.

Durante todo o sepultamento, a mãe de Egidio Brito foi amparada pela família e teve que ter sua pressão arterial medida. "Meu filho tão querido. Vou sentir muito a tua falta Egídio. É tanta tristeza em meu coração", afirmou Teresa Cristina, sentada em uma cadeira porque não conseguia ficar de pé.



Atualizada às 12h03

Familiares e amigos se despedem do jornalista Egídio Brito em THE

O corpo do jornalista Egídio Brito, está sendo velado, na manhã de sábado (5), na funerária Pax União, localizado na Avenida Miguel Rosa, bairro Piçarra, da zona Sul de Teresina. Egídio morreu na tarde de sexta-feira (04/10), vítima de um edema cerebral e insuficiência renal causada por uma meningoencefalite viral. 

O sepultamento será realizado, às 16h30 deste sábado, no Cemitério de Santa Cruz, no conjunto Promorar, na zona Sul da capital.

Familiares, amigos e colegas jornalistas marcaram presença no velório e prestaram homenagens a Egídio Brito.

O diretor geral do Grupo Meio Norte de Comunicação, Wrias Moura falou sobre a evolução do jornalista e de seu diferencial como um grande profissional.  

“O Egídio tem uma trajetória abnegada em prol do seu legado, do seu oficio. Desde que ele começou no Grupo Meio Norte como estagiário, a primeira vez que ele esteve no grupo, ele tinha um sonho de se tornar um repórter e de fato buscou essa posição, se tornou um repórter extremamente competente depois saiu do Grupo Meio Norte e foi para outras emissoras, mas seu coração era Meio Norte, ele retornou a casa e nessa segunda etapa e lá conosco ele se gabaritou como um dos repórteres mais qualificados e de melhor qualificação que nós tinhamos. Como pessoa, ele era uma pessoa muito alegre, muito feliz, uma pessoa muito dada para os seus colegas, deixou ai um legado profissional, pessoal. Conseguiu relacionamento com tanta gente bacana pelo o seu sorriso e sua alegria por viver e deixa além da saudade a certeza que a gente teve ao nosso lado uma pessoa realmente diferenciada.” disse o diretor geral do Grupo Meio Norte, Wrias Moura. 

O coordenador geral de comunicação do estado do Piauí, Alisson Bacelar afirmou que com a morte de um colega de profissão sente como se um pedaço dele também estivesse indo. 

“O Egídio é um colega de trabalho, a gente sempre trocou muita ideia sobre pauta, é um rapaz bem educado, sempre tratou a gente na parte de assessoria de comunicação de forma respeitosa, sempre cumpriu muito bem o trabalho dele e além de tudo é uma parte da gente, um colega de profissão, uma pessoa que trabalha na mesma área, que a gente convive no dia-a-dia, quando a gente perde é como se fosse um pedaço da gente que está indo.” disse o coordenador geral de comunicação do Piauí, Alisson Bacelar. 


A apresentadora do programa SuperTop da rede Meio Norte, Raque Dias conta que Egídio deixou várias lições de vida e marcou a vida de todos de forma intensa. 

“O Egídio é muito especial, e a gente fala dessa forma, porque a gente entende que existe uma vida eterna e a morte não é um ponto final,  ele era uma pessoa intensa, que conseguia demonstrar seus sentimentos, deixou várias lições, marcou nossas vidas de forma intensa e a gente quer lembrar dele com a felicidade que ele tinha, a paixão pela profissão e que a história dele nós toque ainda mais e nós inspire a continuar fazendo esse oficio com amor, ele deixou esse amor em nossos corações e que a gente possa lembrar dele dessa forma.” contou a apresentadora Raquel Dias. 

O pai de Egídio Brito,   Francisco Brito Oliveira, disse que o filho era uma criança grande e fazia questão de perguntar sua opinião sobre as reportagens que fazia.

"Eu lembro dele como uma criança grande. Ele tinha muita amizades. Todos gostavam dele e eu o amava. Sempre queria falar comigo, queria conversar. Era uma criança grande. Era eu que dava o ok para suas reportagens. Quando ele fazia um ao vivo, a primeira coisa que ele fazia era telefonar e me perguntar como tinha ficado. Eu dizia 'você errou ali, poderia ter feito melhor ali. Toda vez ele ficava preocupado com as matérias dele", afirmou Francisco Brito, lembrando que Egídio Brito o queria levar para o estádio Maracanã para assistir a um jogo do Flamengo.


Teresa Cristina Oliveira, a Dinda, mãe de Egídio Brito, afirmou que não sabe o que dizer, não palavras para dizer sobre a morte e memória do filho.

"Meu filho era tudo em minha vida. Me orgulhava  das reportagens de meu filho. Ele me perguntava como era que tinha ficado as matérias dele e eu dizia "que eram muito boas, você foi muito bem, você só faz matérias ótimas", afirmou Teresa Cristina.


Jornalistas, amigos e ex-professores do curso de Jornalismo da faculdade Santo Agostinho destacaram o talento, a educação e o carinho que Egídio Brito tinha com as pessoas.

“O Egídio sempre foi um menino alegre, carinhoso que só tinha elogios para os colegas de trabalho.” declarou Gorete, colega de trabalho do Egídio Brito na TV Cidade Verde. 

Foto: Efrém Ribeiro

“A maior lembrança que eu tenho do Egídio, eu tive um contato muito próximo dele quando eu fui a professora dele no curso de jornalismo, o amor, ele sempre foi um menino muito amoroso, e principalmente também muito educado, essa é a lembrança maior que eu tenho dele. Eu sempre acompanhei ele nos meios de comunicação, especialmente nas TVs e ele sempre chamou muito a minha atenção.” contou a professora Aparecida Ribeiro.


Foto: Efrém Ribeiro

O apresentador do programa "Patrulha", da Rede Meio Norte,  Gilvan Barbosa, disse que lembra de Egídio Brito, quando ele tinha 14 anos, quando ia participar do programa "Meio Norte Show", e ia nas caravanas.

" Ele já mostrava a sua grande paixão, a comunicação. Ele foi sempre admirado por todos nós. A pior parte quando alguém se vai quase nunca se tem a oportunidade de dizer adeus. Fica a eterna saudade do nosso amado repórter", declarou Gilvan Barbosa.

O apresentador "Voz do Povo", da Rede Meio Norte e da rádio Meio Norte FM, Paulo Brito, disse que a lembrança que eu tenho de Egídio Brito é de um homem alegre e  um grande amigo.

"Ele estava trabalhando como produtor e eu aconselhei para deixar a produção e voltar como repórter porque era  o melhor jornalista do Piauí" , afirmou Paulo Brito, que tem 14 anos como comunicador.

O chefe de Tráfego da Rede Meio Norte, José do Vale, lembra que Egídio Brito era educado e gentil.

"Era gente do bem. Nunca tive estresse com ele , só lembro de coisas boas. Ele disse que sempre pedia para trabalhar com o cinegrafista Avelino Neto, o Netinho. Nas duas últimas viagens que fez , para o litoral e Brasília, pediu para trabalhar com o Netinho" , afirmou José do Vale.

José do Vale lembra que estava em Fortaleza (CE) e postou uma fotografia na frente do Estádio Castelão, durante o jogo do Flamengo, e mandou para o WhatsApp de Egídio Brito.

"É o sonho de meu pai. Quero levar ele para um jogo do Flamengo. Eu disse 'vai sim, meu amigo''", lembrou José do Vale.

Foto: Efrém Ribeiro

A jornalista Lindalva Miranda ,  do Jornal Meio Norte, chorou ao lembrar de Egídio Brito. " Ele está tão lindo no caixão, com um semblante muito calmo e sereno. Eu considerava Egídio como um irmão não de sangue mas espiritual. Um dia a gente vai se encontrar em espírito", falou Lindalva Miranda.

Foto: Efrém Ribeiro 


O apresentador do programa "Novas Fronteiras", da Rede Meio  Norte, e do programa "Fogo Cruzado", da Rádio TV Jornal Meio Norte, jornalista Dânio Sousa, disse que foi diretor de Egídio Brito na afiliada da Rede Record, ocasião em que trabalhávamos e nos divertiamos nas viagens pelo Piauí.

"Nos reencontramos na Rede Meio Norte com a alegria de sempre. Ele era sempre alegre, aprazível e divertido. Nosso último trabalho junto foi na transmissão do Festival de Inverno de Pedro II", recordou Dânio Sousa.

Foto: Efrém Ribeiro



Jornalista Egídio Brito morre aos 32 anos 

O jornalista Egídio Brito, da Rede Meio Norte, morreu na tarde de sexta-feira (04/10) após sete dias internado, quando deu entrada no Hospital Unimed.  Na quarta-feira (02/10), ele foi transferido para o Hospital São Marcos. 

Na declaração de óbito assinada pelo médico Antonio Luiz do Nascimento consta meningite viral, edema cerebral e insuficiência renal aguda.

O Grupo Meio Norte de Comunicação divulgou nota de pesar pela morte de Egídio Brito. Leia abaixo:

Neste momento de grande tristeza, quando tomamos conhecimento do desenlace doloroso do nosso companheiro Egídio Bráulio Brito, vimos apresentar a seus pais, familiares e amigos nosso mais sincero sentimento de pesar, rogando aos céus que a todos dê o consolo e paz merecidos.
Ao mesmo tempo, desejamos testemunhar que Egídio foi um ser humano afetuoso, amigo e bondoso, e por nós sempre será lembrado por sua presença alegre e pelo profissionalismo responsável que durante o tempo em que conosco esteve, soube exercer com talento e paixão.


GMNC

Carreira

Egídio Brito  começou sua carreira como jornalista na Rede Meio Norte como produtor do programa de variedades do  apresentador Ieldyson Vasconcelos, o "Sabadão",  e depois trabalhou nas emissoras de TV Cidade Verde,  Antena Dez e TV Clube.

Egídio Brito  nasceu em Teresina e  se formou em Jornalismo na Faculdade  Santo Agostinho.

RELEMBRE MOMENTOS DA CARREIRA DE EGÍDIO BRITO 






Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Localização

Definir a localização padrão

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Fique por dentro

Receba notícias quentinhas diretamente no seu whatsapp

Continuar

Falta pouco, agora escolha as categorias que deseja receber notícias

Aperte (ctrl + clique) para selecionar vários
Pronto!

Agora você passará a receber novidades diretamente no seu whatsapp.

Termos de uso

Texto

Política de privacidade

Texto