Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Ação do Ministério Público impede funcionamento do Hospital Universitário

Ação do Ministério Público impede funcionamento do Hospital Universitário

Ação do Ministério Público impede funcionamento do Hospital Universitário

Impedido de contratar médicos, enfermeiros, atendentes de enfermagem, técnicos de laboratórios, por liminar solicitada pelo Ministério Público do Trabalho, o Hospital Universitário (HU) da Universidade Federal do Piauí (Ufpi) corre o risco de continuar na mesma situação, parado como está acontecendo há três décadas.

A jornalista Rúbia Baptista, da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares ,( EBSERH), confirmou que a Justiça do Piauí suspendeu a contratação dos 1.054 aprovados no concurso público para cargos de níveis superior e médio do Hospital Universitário (HU) da Universidade Federal do Piauí.

Rúbia Baptista afirmou que estavam sendo contratados médicos, enfermeiros e analista de sistema necessários para o funcionamento do Hospital Universitário.

Ela declarou que a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares vai recorrer da decisão da Justiça do Trabalho no Piauí.

Segundo Rubia Baptista, 200 candidatos aprovados no concurso, que foi disputado por 80 mil pessoas, tinha sido convocados esta semana e já estavam entregando os documentos para a contratação desde o dia 23 de abril.

Ela informou que a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares recorreu da decisão da Justiça do Piauí.

A juíza da 2ª Vara do Trabalho de Teresina, determinou em ação impetrada contra o organizador do certame, Instituto Americano de Desenvolvimento (Iades), em liminar, que a entidade se abstenha imediatamente de praticar qualquer contratação dos candidatos aprovados no concurso do HU.

"O Ministério Público acatou nossas reclamações e o procurador Alexandre Assunção entrou com ação contra as contratações", afirmou uma das líderes do movimento, Jurema Keila, técnica de laboratório que disputou uma vaga no HU.

Segundo ela, houve falta de critérios na análise dos títulos e desorganização na realização do concurso e na aplicação das provas.

O juiz da 2ª Vara da Justiça Estadual, Márcio Braga Magalhães, determinou a suspensão da nomeação do ocupante de uma das vagas abertas para o cargo de oftalmologista do Hospital Universitário da Universidade Federal do Piauí por causa análise na prova de títulos.

Ação foi impetrada pelo oftalmologista Jaime da Paz Neto.


Tópicos
Compartilhe

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar