Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

MPPI e Vigilância Sanitária apreendem mais de uma tonelada de carne

Efrém Ribeiro

Da Editoria Geral

O Promotor de Justiça , Cristiano Peixoto, da 2ª Promotoria de Justiça de Parnaíba, o Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (PROCON/PI) e a Vigilância Sanitária realizaram fiscalização nos supermercados da cidade. As atividades foram conduzidas pelo titular da Promotoria de Justiça, Cristiano Peixoto, junto com o chefe da fiscalização do PROCON, Arimatea Arêa Leão, e a representante da Vigilância Sanitária, Esther Mavignier.

O objetivo era verificar se os produtos comercializados nos estabelecimentos estavam adequados para o consumo. A equipe conferiu as datas de validade de diferentes itens e as condições de conservação das carnes, por exemplo.

Três supermercados receberam a equipe de fiscalização. Em todos foram encontrados alguns produtos com prazo de validade vencido, como cerveja, suco, batata frita e pães. Foram apreendidos 989 quilos de carne de sol, carne suína, carne de frango, carne de carneiro e carne moída, em decorrência da falta de comprovação de inspeção prévia pelo órgão competente. Os produtos foram apreendidos e inutilizados. 81 quilos de frios (queijo, presunto, salsicha e linguiça) receberam a mesma destinação, por conta da ausência de rotulagem e de indicação de prazo de validade e data de fabricação.

Foram apreendidos mais 327 quilos entre produtos para feijoada, carnes, frangos e suínos, que estavam inadequadamente acondicionados e impróprios para o consumo. Foram encontrados três pacotes de camarão sem informação da data de validade. A equipe também verificou as condições de higiene no manuseio dos frios e refeições (self-service) e a regularidade da realização de dedetizações.

O PROCON/MPPI lavrou três autos de infração, que darão origem a processos administrativos, nos termos da Lei Complementar n° 36/04. Os fornecedores têm o prazo de 15 (quinze) dias para apresentar impugnação.


Tópicos
Compartilhe

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar