Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Piauí tem saldo positivo em empregos no mês de junho, pico da pandemia

O Piauí foi um dos 17 estados do Brasil e cinco do Nordeste que tiveram saldo positivo na criação de novos empregos em junho, de acordo com os do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged), apresentados pelo secretário especial de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco, na terça-feira (28/7), em entrevista coletiva à imprensa.

Os dados do Caged apontam quem junho foram admitidos mercado de trabalho formal, o da carteira assinada, 5.061 trabalhadores contra as 4.755 empregados.

Isso quer dizer que foram criados em junho 306 novos postos de trabalho,  com uma variação de 0,11%.

O acumulado de janeiro a junho aponta que o Piauí perdeu 8.754 postos de trabalho, com uma variação negativa 2,94% porque em seis meses no estado foram contratados formalmente 34.489 trabalhadores e  demitidos 43.240 empregados.

Para Bruno Bianco, os dados do Caged   mostram a forte reação do mercado de trabalho no país, com crescimento expressivo do número de admissões e diminuição das demissões, na comparação com o mês de maio.

Secretário especial de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco

Foram 895.460 contratações e 906.444 desligamentos, resultando em um total ainda negativo de 10.984 vagas. Bianco observou que no mês de abril o saldo havia sido negativo em cerca de 900 mil postos e durante maio também negativo em aproximadamente 350 mil. Segundo ele, nunca se devem comemorar perdas no número de empregos, mas a análise dos números ao longo dos últimos três meses indica, sim, aspectos positivos.

“A equipe da Secretaria tem trabalhado diuturnamente para preservar empregos e aumentar contratações. O Caged de junho traz o resultado disso”, ressaltou.


O secretário frisou que o país se aproxima de um saldo positivo, devido à melhora expressiva da economia. As admissões cresceram 24% em relação ao mês de maio. “Estamos avaliando dia após dia o comportamento do mercado de trabalho, evitando projeções de longo prazo. Entretanto, pelos números de junho, a reação mostra que é possível o Brasil realizar uma recuperação econômica em formato de ‘V’, como o ministro Paulo Guedes projetou”, observou Bianco.

Ainda na avaliação do secretário especial, a recuperação está sendo possível porque o país fez corretamente a “lição de casa” ao longo dos últimos quinze meses. Ele fez a comparação da atual política econômica do país com a de uma família, que economiza dinheiro por mais de um ano e depois se vê obrigada a gastar com despesas de saúde. “Um pessimista pode achar isso uma pena. Mas nós, que somos otimistas, vemos que foi ótimo ter economizado esses recursos, pois agora estamos tendo a possibilidade de atravessar a crise de maneira menos grave”, analisou.

15 milhões de acordos entre empregadores e empregados

Durante a entrevista coletiva de imprensa, o contador em tempo real do Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda (BEm) ultrapassou o significativo número de 15 milhões de acordos entre empregadores e empregados, para preservação dos postos de trabalho no país.

Para Bianco, as medidas adotadas foram corretas, pois permitiram o avanço das contratações simultaneamente em que possibilitaram evitar demissões. “Estamos entrando claramente no momento de pós-pandemia. Outros países e organismos internacionais já têm observado as ações do Brasil, tentando entender as consequências positivas do BEm. Estão bebendo da nossa fonte”, informou.

Também presente à coletiva, o secretário de Trabalho, Bruno Dalcolmo, ressaltou que os 15 milhões de acordos já possibilitados pelo BEm beneficiaram cerca de 10 milhões de trabalhadores. De acordo com ele, antes do envio da Medida Provisória 936/2020, em abril, as projeções mostravam que, se nada fosse feito para preservar os empregos e a renda, o Brasil poderia chegar a 12 milhões de demissões ao longo da pandemia da covid-19.

“Com as ações que tomamos, sobretudo a formulação do BEm, ao invés de termos 12 milhões de demitidos, preservamos o emprego de cerca de 10 milhões de pessoas, o que representa um terço de todos os trabalhadores que atuam em regime de CLT no país”, comparou, acrescentando que, por todos os prismas que se observa, o BEm pode ser considerado um sucesso.

Destaques do mês

O setor da agricultura foi o grande destaque do mês de junho, com um saldo positivo de 36.836 vagas, puxado pelo cultivo de café, laranja, soja e açúcar. A construção civil também fechou o mês positivamente, em 17.270 postos.

A análise regional do mercado de trabalho formal mostra que 17 estados fecharam o mês de maneira positiva, com destaque para o Mato Grosso na produção de soja e o Pará na construção civil.


Tópicos
Compartilhe

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar