Governador diz que vai buscar consenso na eleição da Alepi

Wellington Dias concedeu entrevista para o quadro Jogo do Poder

Na edição do quadro Jogo do Poder dessa quinta-feira (06/12), no programa Agora, composto pelos jornalistas Amadeu Campos, Arimatea Carvalho, Efrém Ribeiro, Ananias Ribeiro e Carolina Durães os profissionais explanaram sobre os principais pontos dos bastidores da política.

Wellington Dias afirma que está fazendo o possível para garantir pagamento do 13º salário

O jornalista Efrem Ribeiro conversou com o governador Wellington Dias. Dentre os assuntos abordados, está o pagamento do 13° salário, que o governador garantiu que será feito.

"Em Brasília nós tivemos uma negociação intensa e temos o regime de urgência para a votação de três projetos, que é o da seção onerosa, o da securitização e também o das assinaturas, mas ficou para a próxima semana a votação. No Supremo acertamos para março a votação da pauta federativa, salario educação, Fundef, exceto FPE, que vamos acertar ainda este ano. Quanto às fianças, vamos cuidar para ter aquilo que é receita de 2018 em 2018, para não ter problema de fechamento do ano, é o caso do fundo de participação. Mas também garantir novas receitas para 2019. Tudo o que queremos é manter esta prioridade. Queremos manter o pagamento da folha, serviços funcionando e capacidade de investimento. Quanto ao 13º, já pagamos 50%", disse.

Efrem também indagou o governador sobre a eleição para a presidência da Assembleia Legislativa do Piauí. Dias afirmou que Hélio Isaías é um bom nome, mas é preciso que haja entendimento.


"A Assembleia Legislativa tem 30 parlamentares que, entre eles, vão escolher o melhor para a Assembleia, neste caso eu participo muito mais quando sou procurado, então sempre que algum parlamentar tem uma opinião a dar ou quer alguma opinião minha. O que eu sei é que há uma busca de entendimento, todo o meu esforço é para que tenha entendimento. Às vezes sem entendimento vai no voto. Primeiro nós tivemos sem entendimento a eleição em 2015, depois nós tivemos por entendimento a eleição do atual presidente da casa, o deputado Themístcles Filho, e agora uma, duas ou três candidaturas existentes, o que abre uma possibilidade também para um entendimento e terá todo o meu esforço para isso. Normalmente não se resolve em dezembro e nem em janeiro, normalmente é só no dia da eleição. Eu agradeço tanta confiança para ajudar a escolher um nome, mas todos vamos ter que dialogar e trabalhar para esse entendimento com a Assembleia Legislativa. O nome de Hélio Isaias é excelente, é pessoa de bem e parlamentar com experiência, mas, repito, vamos buscar um entendimento na Assembleia.

Amadeu Campos: O governador deu o pulo do gato quando deixou para anunciar o secretariado após a eleição da Assembleia. Se fizesse como em 2015, houve a traição. Agora ele deixou tudo para depois.

Carolina Durães: O curioso é que embora ele se diga muito honrado por estar sendo ouvido, o presidente da Alepi disse que o governador, senador e nem prefeito devem se envolver nesta eleição.

Arimateia Carvalho: Segundo um deputado ligado ao presidente de Assembleia, Themistocles Filho, a solução para um consenso seria Themístocles presidente, com o vice do Progressistas. Themístocles ficaria dois anos, depois disso assumiria uma vaga no TCE com a aposentadoria do procurador Luciano Nunes e o Progressistas ficaria no mandato nos próximos dois anos.

Amadeu Campos: Um acordo parecido com este foi feito em 2011. Houve acordo para que Themístocles ficasse os dois primeiros anos, no governo Wilson Martins, na Alepi, e os dois anos seguintes seria Wilson Brandão, do partido do então governador. Mas houve uma tragédia, com a morte de Xavier Neto, abrindo vaga no TCE, então surgiu o nome de Lilian Martins e Themístocles apoiou, disse que abriria mão da vaga, mas com a condição de ficar mais dois anos na presidência da Assembleia e foi o que aconteceu. Vamos ver se mais uma vez este acordo se repete.

TCE recebe Prêmio Innovare

O Tribunal de Contas do Piauí recebeu hoje, em Brasília o Prêmio Innovare.

Carolina Durães: O prêmio que já é realizado há 15 anos, tem tradição em reconhecer projetos na área jurídica e este ano o tema foi o combate à corrupção. Este é um prêmio executado pelo Tribunal de Contas e foi idealizado pelo procurador do TCE, Plínio Valente. Esse projeto evitou o desvio de R$ 380 milhões do precatório do Fundef. O projeto prevê que, como as prefeituras teriam as contas bloqueadas e só seriam desbloqueadas caso apresentassem um plano de investimento mostrando onde estes recursos seriam aplicados, que deveria ser, conforme preve o Fundef, somente no pagamento dos precatórios dos professores e na manutenção de escolas. O prêmio Innovare recebeu mais de 600 projetos e só 12 foram até a final e o Piauí levou um dos prêmios principais em uma das categorias. A gente lembra que muitas prefeituras tiveram esses recursos bloqueados e não conseguiram, a princípio, apresentar essa planílha de investimentos e alguns prefeitos tiveram problemas com isso, mas o TCE não abriu mão tanto que evitou o desvio de R$ 380 milhões.





logomarca do portal meionorte..com